Pequim cancela mais de 1.200 voos e fecha escolas para conter surto de coronavírus

Autoridades e agentes da saúde se esforçam para conter novo surto de Covid-19 na zona sul de Pequim.
Autoridades e agentes da saúde se esforçam para conter novo surto de Covid-19 na zona sul de Pequim. AFP/File

Os dois aeroportos de Pequim cancelaram mais de 1.200 voos nesta quarta-feira (17), após a descoberta de 31 novos casos do coronavírus nas últimas 24 horas. A capital chinesa conta agora com 137 pessoas infectadas, desde o ressurgimento do surto da doença na última sexta-feira (12).

Publicidade

O gabinete do prefeito de Pequim considera o número de novas contaminações estável pelo quarto dia consecutivo. Mas as autoridades pediram aos moradores que evitem viagens "não essenciais" para fora da cidade e ordenaram o fechamento de escolas do ensino fundamental e secundárias.

Às 09h10 locais (22h10 de terça-feira em Brasília), 1.255 voos com partida e chegada nos aeroportos de Pequim foram cancelados, ou seja, 70% dos planejados originalmente, informaram os portais People's Daily e o China Daily.

Várias cidades começaram a impor uma quarentena obrigatória a todos os viajantes provenientes da capital chinesa. Os usuários de trens que reservaram passagens para viajar à capital ou partir de Pequim para outras localidades poderão solicitar um reembolso gratuito, informou o People's Daily.

Até o aparecimento desse novo foco de contaminação em Pequim, nenhum caso de coronavírus havia sido detectado em dois meses na capital chinesa, e os cidadãos estavam quase voltando a uma vida normal. Mas o medo de uma segunda onda epidêmica levou as autoridades a agir.

As autoridades chinesas lançaram uma grande campanha de testes de diagnóstico após o ressurgimento do surto no mercado atacadista de Xinfadi, no sul da metrópole. Outros mercados de bairros adjacentes foram fechados preventivamente. Pelo menos 30 bairros residenciais na zona sul de Pequim foram isolados e seus moradores estão em quarentena. Atualmente, a cidade realiza mais de 90.000 exames diários de diagnóstico do vírus Sars-CoV-2.

Desde meados de maio, a China, onde a epidemia apareceu no final de 2019, não registra mortes em decorrência da Covid-19. Fora de Pequim, 13 novas infecções foram diagnosticadas nas últimas 24 horas, 11 delas em pessoas que haviam retornado recentemente do exterior. Da mesma forma, Pequim também informou que na terça-feira (16) foram detectadas seis pessoas portadoras do vírus que não apresentaram sintomas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.