Acessar o conteúdo principal

Deslizamento de terra deixa mais de 120 mortos no norte de Mianmar

Segundo as autoridades, pode haver mais vítimas do deslizamento de terra nas minas no norte de Mianmar, mas as buscas tiveram de ser suspensas devido ao mau tempo.
Segundo as autoridades, pode haver mais vítimas do deslizamento de terra nas minas no norte de Mianmar, mas as buscas tiveram de ser suspensas devido ao mau tempo. AP - Zaw Moe Htet
Texto por: RFI
1 min

Os corpos de ao menos 120 pessoas que trabalhavam em uma mina de jade no norte de Mianmar foram retirados de uma montanha de lama, depois de um deslizamento de terra nesta quinta-feira (2).

Publicidade

"Os mineiros foram arrastados por uma onda de lama provocada por fortes chuvas de monções", afirmam os bombeiros do Estado de Kachin em sua página no Facebook. Segundo as autoridades, pode haver mais vítimas, mas as buscas tiveram de ser suspensas devido ao mau tempo.

Imagens compartilhadas pelos bombeiros nas redes sociais mostram o delicado serviço de resgate, em um vale submerso de lama no cantão de Hpakant, perto da fronteira com a China. 

Os deslizamentos de terra são frequentes nas minas de jade a céu aberto, que deixaram a região com um aspecto de paisagem lunar. As vítimas são geralmente originárias de comunidades étnicas desfavorecidas que trabalham de forma clandestina. 

Próspero, mas pouco regulamentado, o setor de mineração de Mianmar emprega trabalhadores informalmente, segundo a ONG Watchdog Global Witness. A cada ano, dezenas de jovens em busca de pedras preciosas morrem em acidentes em minas devido às más condições de trabalho. 

Os abundantes recursos naturais do norte do país - como o jade, a madeira, o ouro e o âmbar - ajudam a financiar uma guerra civil que já dura décadas entre os insurgentes da etnia kachin e os militares birmaneses. 

(Com informações da AFP

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.