Acessar o conteúdo principal

"Como casal não temos existência legal": as dificultades de homossexuais na Rússia após mudança na Constituição

Vika e Valeria pretendem se casar em Portugal e se instalar definitivamente no exterior.
Vika e Valeria pretendem se casar em Portugal e se instalar definitivamente no exterior. RFI/R. Shikhatova
Texto por: RFI
2 min

Na Rússia, a discriminação aos casais gays está expressa na constituição do país, que agora proíbe o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Ao adicionar esta emenda, o presidente Vladimir Putin recebeu apoio da parcela mais conservadora de seu eleitorado. A reportagem da RFI mostra o drama de quem enfrenta o preconceito em seu dia-a-dia.

Publicidade

Daniel Vallot, correspondente da RFI em Moscou

Vika e Valéria vivem juntas há cinco anos e lembram com grande ternura o início de seu relacionamento. “Já faz tempo que moramos juntas, mas no começo ela não queria vir morar na minha casa. Então eu apareci com uma grande mala e disse: ou você coloca as suas coisas dentro e vem ou sou eu que te colocarei dentro da mala e te levarei”, conta, entre risos, Vika.

Sentadas lado a lado, na sala de estar de seu pequeno apartamento, as duas jovens contam que decidiram viver juntas, apesar das dificuldades e discriminação que ainda são muito frequentes na Rússia em relação aos casais LGBTQI+.

"É simplesmente horrível. Porque as pessoas que são casadas têm direitos que nunca teremos. E para mim é uma grande injustiça, isso significa que, como casal, não temos existência legal. Por exemplo, se uma de nós ficar doente e acabar no hospital, a outra não pode nem visitar", lamenta.

Visão tradicional da família

Contudo, o protesto não encontra eco em toda a sociedade russa, onde uma parte da população ainda defende uma visão tradicional da sociedade e da família. É o caso de Olga Letkova, diretora da Associação Russa do Comitês de Pais.

"Nosso povo tem uma história milenar, temos tradições antigas e a família na Rússia é um valor fundamental. Vemos muito negativamente o que está acontecendo em outros países. E as pessoas aqui querem proteger suas famílias como uma instituição tradicional”, afirma.

Já para Vika e Valeria, as autoridades russas usaram esse discurso sobre os valores da família para aprovar uma reforma cujo principal objetivo é realmente permitir que Vladimir Putin permaneça no poder. Um cálculo político às custas dos casais LGBTQI+ da Rússia

"É um salto para trás. E só vai piorar, enquanto houver propaganda homofóbica, e essa política for apoiada pelo Estado. Vika e eu esperamos que um dia possamos ter filhos, e queremos ter uma vida familiar normal. Queremos levar nossos filhos para a escola, sem medo de que eles nos sejam retirados ou que lhes apontem o dedo."

Como outros casais gays na Rússia, elas decidiram se casar em Portugal. Porém na Rússia, essa união não terá valor legal. As duas jovens planejam se estabelecer no exterior, em um país mais tolerante, que respeite a sua vontade de viverem juntas.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.