Coreia do Norte tem primeiro caso “suspeito” de Covid-19 e adota plano de emergência

Kim Jong Un preside reunião de emergência com a cúpula do governo da Coreia do Norte. 25/07/2020.
Kim Jong Un preside reunião de emergência com a cúpula do governo da Coreia do Norte. 25/07/2020. via REUTERS - KCNA

Um primeiro caso "suspeito" de coronavírus foi registrado na Coreia do Norte, que está em estado de "emergência máximo", anunciou a agência de notícias oficial KCNA neste domingo (26). Trata-se de uma pessoa que "voltou em 19 de julho depois de ter cruzado ilegalmente a linha de demarcação" na fronteira com a Coreia do Sul, segundo a KCNA.

Publicidade

A agência descreve a pessoa suspeita de estar infectada como "um fugitivo que foi para o sul há três anos" e teria sido encontrado na cidade de Kaesong, na fronteira com a Coreia do Sul. Essa pessoa "foi inicialmente submetida a uma quarentena rigorosa, e todas as pessoas que estiveram em contato com ela e as que estiveram nesta cidade nos últimos cinco dias estão sendo investigadas minuciosamente", informou a imprensa oficial.

Pyongyang afirmava, até então, não ter registrado nenhum caso de coronavírus e que as fronteiras do país permaneceriam fechadas. Para lidar com a "situação perigosa" e "que poderia levar a uma catástrofe mortal e destrutiva", o líder norte-coreano Kim Jong-Un convocou uma reunião do gabinete político no sábado (25) para adotar um "sistema de emergência máximo e emitir um alerta de alto nível" para conter a epidemia, disse a agência oficial.

Cidade em isolamento completo

É extremamente raro que uma pessoa atravesse a fronteira entre os dois países, um dos locais mais militarizados do planeta, com arames farpados e campos minados. Mas o Exército da Coreia do Sul disse que existe “uma grande possibilidade” que alguém tenha partido para o Norte recentemente.

Segundo a imprensa norte-coreana, a pessoa suspeita de estar contaminada é um jovem de 24 anos que teria cruzado a fronteira a nado, por estar respondendo por um crime de estupro no país vizinho.

Apesar das medidas estritas de quarentena, "parece que o vírus entrou no país", reconheceu Kim Jong-Un, segundo a KCNA. O líder norte-coreano afirmou que o governo tomou "a medida preventiva de confinar completamente a cidade de Kaesong" em 24 de julho, acrescentou a fonte. A infraestrutura hospitalar do país é particularmente inadequada para enfrentar uma epidemia como a de Covid-19.

Fronteiras com a China, onde surgiu a Covid-19

Desde a aparição do novo coronavírus na China, Pyongyang fechou as fronteiras com o país vizinho e adotou medidas drásticas de restrição de deslocamentos, com imposição de confinamento a milhares de habitantes. Mesmo assim, os especialistas duvidam que a Covid-19 não tenha chegado ao país mais cedo do que agora.  

A China e a Coreia do Norte têm 1,4 mil quilômetros de fronteiras comuns, que são bastante flexíveis durante o inverno, quando o congelamento dos rios facilita as travessias clandestinas. Desta forma, milhares de norte-coreanos passam cotidianamente de um lado para o outro para transportar produtos contrabandeados. Esse trânsito leva os analistas a acreditar que, antes mesmo do fechamento das fronteiras, o coronavírus já tivesse entrado na Coreia do Norte.

Com informações da AFP

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.