China revida e suspende acordos de extradição com Hong Kong e outros 3 países

Tropas chinesas marcham na Praça da Paz Celestial, em Pequim, em outubro de 2019.
Tropas chinesas marcham na Praça da Paz Celestial, em Pequim, em outubro de 2019. AFP/File

A China anunciou, nesta terça-feira (28), a suspensão de acordos de extradição entre Hong Kong e três países ocidentais (Canadá, Austrália e Reino Unido) que tinham criticado a aplicação por parte de Pequim de uma lei de segurança no território semiautônomo chinês.

Publicidade

Esses três países já haviam suspendido esses acordos, unilateralmente, em protesto contra a nova legislação, em vigor desde 30 de junho na ex-colônia britânica.

"Essas ações equivocadas (...) prejudicaram gravemente as bases da cooperação judiciária", disse o porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores, Wang Wenbin, à imprensa.

"A China decidiu suspender os tratados de extradição entre Hong Kong e Canadá, Austrália e Reino Unido, assim como os acordos de cooperação em questões de justiça criminal", enfatizou.

Vários países ocidentais, com os Estados Unidos à frente, pediram à China que recuasse em relação à lei de segurança nacional em Hong Kong.

A nova lei faz a oposição democrata local temer um retrocesso grave das liberdades em vigor nesse território de 7,5 milhões de habitantes, devolvido pelo Reino Unido à China em 1997.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.