Covid-19: Unicef prevê quase 7 milhões a mais de crianças desnutridas

A crise sanitária gerada pela Covid-19 pode resultar em sete milhões de crianças com malnutrição a mais no mundo.
A crise sanitária gerada pela Covid-19 pode resultar em sete milhões de crianças com malnutrição a mais no mundo. AP - Rafiq Maqbool

Quase sete milhões de crianças no mundo poderão sofrer os efeitos da desnutrição decorrente da crise econômica e social provocada pela Covid-19, segundo um documento do Unicef, divulgado nesta terça-feira (28).

Publicidade

Antes da pandemia, 47 milhões de crianças em 2019 apresentavam perda de peso e magreza extrema, destaca o Fundo das Nações Unidas para a Infância e Adolescência .

“Os primeiros casos da Covid-19 foram registrados há sete meses e é cada vez mais claro que as consequências da pandemia prejudicam muito mais as crianças que a doença em si”, declarou em comunicado a diretora-executiva do Unicef, Henrietta Fore.

A pobreza e a insegurança alimentar aumentaram. Os serviços essenciais e as cadeias de provisão de alimentos foram interrompidos. Os preços dos alimentos dispararam. Os resultados são que a qualidade do regime alimentar das crianças baixou e as taxas de malnutrição vão aumentar”, acrescentou Fore.

Consequências intergeracionais

O Unicef se apoia em uma análise publicada pela revista médica The Lancet, na qual pesquisadores se alarmam diante das consequências da má alimentação das crianças por causa da pandemia.

“O impacto profundo da pandemia de Covid-19 sobre a nutrição das crianças pode ter consequências intergeracionais”, estimam os especialistas, temendo que isso prejudique “o crescimento e desenvolvimento dessas crianças”.

  

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.