Acessar o conteúdo principal

Considerado exemplar na gestão da epidemia, Vietnã registra primeira morte por Covid-19

Cerca de mil especialistas em gestão de crise sanitária, entre médicos e militares, foram enviados a Da Nang, centro do Vietnã, para tentar controlar um novo foco da Covid-19 no local.
Cerca de mil especialistas em gestão de crise sanitária, entre médicos e militares, foram enviados a Da Nang, centro do Vietnã, para tentar controlar um novo foco da Covid-19 no local. AP - Bui Cuong Quyet
Texto por: RFI
2 min

O Vietnã, que parecia ter conseguido controlar a epidemia de coronavírus até o momento, registrou nesta sexta-feira (31) a primeira morte provocada pela Covid-19, anunciou a imprensa oficial. O governo mobilizou especialistas para lutar contra um foco da doença no centro do país.

Publicidade

A vítima é um homem de 70 anos residente de Hoi An, região central do Vietnã. "Ele testou positivo no início semana", indicou a imprensa do país.

De meados de abril a julho, o Vietnã não registrou nenhum caso de transmissão local. No entanto, um foco foi detectado no fim de semana passado na estação balneária de Da Nang, local altamente frequentado por turistas no país. Depois disso, a doença se propagou para várias localidades e mais de 100 novos casos foram confirmados.

Apenas nesta sexta-feira foram registrados 45 casos, um recorde diário desde o início da crise de sanitária, segundo as autoridades vietnamitas. Até o momento, o Vietnã contabiliza 509 infectados.

Temor que a doença se propague na capital

O governo teme a propagação do vírus em Hanói, a capital do país. Quase 21 mil habitantes da capital que passaram recentemente por Da Nang estão sendo submetidos a exames de diagnóstico. Desde quarta-feira (29) os bares foram fechados e aglomerações foram proibidas.

Além disso, a maioria dos 1,1 milhão de habitantes de Da Nang foi convidada a permanecer em casa e os transportes para a cidade foram interrompidos.

Pouco depois de detectar os primeiros casos em janeiro, o Vietnã, que divide uma longa fronteira com a China, decretou uma quarentena rígida. Além disso, investiu em testes massivos: 430 mil pessoas realizaram o diagnóstico. A Organização Mundial da Saúde (OMS) elogiou várias vezes a gestão da epidemia pelo governo vietnamita.

Dezenas de milhares de pessoas foram internadas em campos vigiados pelo exército em todo o país. As autoridades estabeleceram um monitoramento rigoroso das pessoas infectadas, com base nas redes utilizadas por décadas pelo regime comunista para levar o trabalho do partido aos bairros.

Com o sucesso no controle da doença, as autoridades permitiram que bares e restaurantes começassem a reabrir e que a população pudesse sair de férias dentro do país.

Diante dos novos casos, as autoridades não tardaram a reagir. Um hospital de campanha está sendo instalado em Da Nang. Cerca de mil especialistas em gestão de crise sanitária, entre médicos e militares, foram enviados ao local. 

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.