Acessar o conteúdo principal

Presidente Iván Duque é investigado por financiamento ilegal em campanha à presidência da Colômbia

A campanha de Iván Duque é suspeita de ter recebido US$ 300 mil em um repasse ilegal feito por um empresário venezuelano.
A campanha de Iván Duque é suspeita de ter recebido US$ 300 mil em um repasse ilegal feito por um empresário venezuelano. Présidence colombienne
Texto por: RFI
2 min

O Conselho Nacional Eleitoral, órgão de controle das eleições na Colômbia, anunciou nesta terça-feira (11) que abriu uma investigação pela suspeita de financiamento ilegal na campanha do presidente Iván Duque, eleito em 2018. A suspeita é de que o empresário venezuelano Oswaldo Cisneros tenha repassado ilegalmente US$ 300 mil à campanha do partido Centro Democrático.

Publicidade

Em um comunicado, o conselho anunciou ter aberto um "inquérito preliminar" contra o então candidato e seu partido pela "suposta violação dos regulamentos eleitorais sobre o financiamento de campanhas políticas". A entidade vai analisar as contas do partido durante a disputa que o elegeu presidente até 2022.

A origem da investigação são gravações feitas pelo Ministério Público colombiano em que os supostos repasses são citados.

As conversas envolvem uma ex-colaboradora do ex-presidente Álvaro Uribe - apoiador de Duque e sobre quem há um mandado de prisão domiciliar em outro processo -, a diretora do Centro Democrático, Nubia Martínez, e um suposto narcotraficante, assassinado no Brasil em 2019.

Doações de estrangeiros são proibidas

Nestes áudios, "fala-se de supostas contribuições econômicas do magnata venezuelano Oswaldo Cisneros em um valor de US$ 300 mil", afirma o comunicado do CNE. Na Colômbia, as contribuições de estrangeiros para campanhas eleitorais são proibidas.

Após a divulgação dos áudios, Martínez afirmou que a frase foi fruto de um equívoco e que queria dizer que havia oferecido ela mesmo dinheiro, mas que a doação nunca foi efetuada, de acordo com a revista colombiana Semana.

Esta não é a primeira suspeita sobre o financiamento da campanha de Duque. Em março, outra investigação foi aberta pela Corte Suprema de Justiça da Colômbia para averiguar a compra de votos feitas pelo ex-presidente Uribe em favor de Iván Duque.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.