Sérvia constrói em silêncio cerca anti-migrantes na fronteira com a Macedônia

Refugiados fazem fila em um abrigo em Presevo, Sérvia 26 de agosto de 2015.
Refugiados fazem fila em um abrigo em Presevo, Sérvia 26 de agosto de 2015. © REUTERS / Agron Beqiri

O governo sérvio se recusou a comentar sobre a construção de uma cerca em sua fronteira com a Macedônia do Norte, um ponto de passagem obrigatório para migrantes que cruzam os Bálcãs. A cerca foi erguida na fronteira sul do país, perto de uma passagem oficial da fronteira e de um campo de migrantes, no lado norte da Macedônia, de acordo com um fotógrafo da agência AFP.

Publicidade

Fotos da cerca foram transmitidas no início desta semana pela rádio "Europa Livre", e o ministro do Interior da Macedônia do Norte disse à mídia local que o lado sérvio a estava instalando em seu território. Em Belgrado, os Ministérios do Interior e das Relações Exteriores sérvios se recusaram a comentar o caso.

De acordo com uma recomendação postada no site do Ministério das Finanças da Sérvia, sobre as condições a serem cumpridas para erguer esta cerca em terras privativas, esta barreira tem como objetivo "bloquear a fronteira nacional" a fim de "evitar a propagação do novo coronavírus" no caso de uma "travessia massiva" da fronteira.

A Sérvia está na "rota dos Bálcãs ", oficialmente fechada em 2016, mas que milhares de migrantes continuam a usar na tentativa de chegar à Europa Ocidental. Cerca de 30.000 migrantes foram registrados na Sérvia no primeiro semestre de 2020, quase três vezes mais do que no ano passado, de acordo com dados oficiais.

Cercando os Bálcãs

Diversos países da região, como Hungria, Macedônia do Norte e Eslovênia, já ergueram cercas em 2015, quando centenas de milhares de migrantes se deslocavam para a Europa Ocidental.

Questionada sobre a questão na Sérvia, a porta-voz da Comissão Europeia, Ana Pisonero-Hernandez, disse que a União Europeia apoia financeiramente a Sérvia na gestão da crise migratória sem que este apoio "implique a construção de uma cerca".

Na cidade sérvia de Presevo, perto da fronteira, Visar Mehmeti, chefe de gabinete do prefeito, confirmou que uma cerca estava sendo construída e disse que seu pedido de esclarecimentos ao governo não havia sido atendido.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) em Belgrado disse que o país tem "o direito soberano de controlar suas fronteiras", embora tenha a obrigação de fazer cumprir os procedimentos de asilo.

"No passado, a Sérvia permitiu o acesso aos procedimentos de asilo e não temos indicação de que essa prática vá mudar", disse a porta-voz do órgão, Mirjana Milenkovski.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.