Comissário da União Europeia pede demissão por ter participado de jantar público durante pandemia

O Comissário de Comércio europeu, o irlandês Phil Hogan, pediu demissão após ter sido acusado de infringir as normas sanitárias de seu país contra o novo coronavírus.
O Comissário de Comércio europeu, o irlandês Phil Hogan, pediu demissão após ter sido acusado de infringir as normas sanitárias de seu país contra o novo coronavírus. AP - Virginia Mayo

O Comissário de Comércio europeu, o irlandês Phil Hogan, anunciou nessa quarta-feira (26) sua demissão, após ter sido acusado de infringir as recomendações sanitárias contra o novo coronavírus na Irlanda. O político pediu desculpas por ter participado de um jantar de gala com mais de 80 pessoas.

Publicidade

"Apresentei minha demissão como comissário europeu de Comércio à presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen", informou Hogan em um comunicado.

O irlandês decidiu deixar seu posto na Comissão Europeia após sua participação em um jantar com 82 convidados, organizado para comemorar os 50 anos do clube de golfe do Parlamento irlandês durante um período de restrições de circulação pela pandemia do coronavírus, tornar-se um tema de constrangimento público.

"A cada vez ficava mais claro que a controvérsia em torno da minha recente visita à Irlanda começava a desviar a atenção do meu trabalho como comissário europeu e poderia desacreditar meu trabalho nos cruciais próximos meses", afirmou Hoogan. Os próximos meses serão marcados pelas negociações pós-Brexit com o Reino Unido.

Nesta quinta-feira (27), a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, pediu ao governo irlandês que apresente candidatos apropriados para ficar no lugar de Hogan, "uma mulher e um homem".

Cada país-membro da União Europeia tem um representante na Comissão Europeia, com a saída de Phil Hogan, a Irlanda está momentaneamente sem representação.

Demissão sob pressão

Sob pressão da titular da Comissão Europeia, Hogan tinha sido obrigado a descrever, em um comunicado de quatro páginas publicado na terça (25), sua estadia na Irlanda de 31 de julho a 21 de agosto.

Mais uma vez, o irlandês pediu desculpas e readmitiu que não deveria ter ido ao jantar. "É importante dizer que não infringi a lei. Como representante público, deveria ter sido mais rigoroso na manutenção das diretrizes Covid-19", afirmou.  

O mesmo evento levou a outros pedidos de demissão na Irlanda, como o do ministro irlandês da Agricultura, Dara Calleary.

Hogan tinha um dos cargos-chave e de maior destaque da Comissão Europeia. Sua demissão ocorre em um momento ruim, em que as relações do bloco econômico com os Estados Unidos e também com a China estão particularmente tensas.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.