Acessar o conteúdo principal

Polícia grega usa gás lacrimogênio contra manifestantes desabrigados em Lesbos

Uma mulher leva um bebê no colo durante manifestação de migrantes desabrigados na ilha grega de Lesbos (12/09/20).
Uma mulher leva um bebê no colo durante manifestação de migrantes desabrigados na ilha grega de Lesbos (12/09/20). AFP
Texto por: RFI
2 min

A polícia da ilha grega de Lesbos disparou gás lacrimogêneo no sábado (12) contra migrantes que protestavam atirando pedras e pedindo abrigo após os incêndios que destruíram um acampamento em Moria.

Publicidade

Centenas de requerentes de asilo fizeram o protesto após passar a quarta noite dormindo nas ruas, enquanto as operações de alojamento não se concretizam.

As autoridades da ilha, que se recusam a reconstruir o acampamento, querem transferir os migrantes para centenas de barracas que começaram a instalar com urgência na sexta-feira (11) em uma área perto do porto.

Mais de 11.000 pessoas, incluindo milhares de crianças, estão desabrigadas há quatro dias.

"As famílias terão prioridade, com tendas planejadas para seis pessoas. O processo de realocação começa hoje", disse o porta-voz do Ministério da Imigração, Alexandros Ragavas, à AFP no sábado.

O acampamento improvisado de Moria foi destruído em incêndios sucessivos na terça e quarta-feira. A maioria dos migrantes são originários do Afeganistão.

Menores desacompanhados vão para a Europa

Nesta sexta-feira (11), a União Europeia anunciou que dez países do bloco vão receber 400 migrantes menores de idade desacompanhados que estavam no acampamento de Moria, um dos maiores da Europa. 

O ministro alemão do Interior, Horst Seehofer, disse que a Alemanha e a França receberão cada um entre 100 e 150 crianças e adolescentes. A Holanda também se ofereceu para receber uma centena de requerentes de asilo, a metade menores de idade.

A Comissão Europeia pretende apresentar até o fim de setembro uma proposta para um novo pacto sobre migração e asilo.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.