Acessar o conteúdo principal

Laboratórios da França e Suécia confirmam envenenamento do opositor russo Alexei Navalny

O governo alemão diz que laboratórios especializados na França e na Suécia confirmaram que o líder da oposição russa Alexei Navalny foi envenenado com o agente do grupo Novichok. Na foto um homem segura um cartaz com um retrato de Alexei Navalny: "Navalny foi envenenado, sabemos quem é o culpado, Alexei você deve viver", durante um protesto em Khabarovsk, Rússia.
O governo alemão diz que laboratórios especializados na França e na Suécia confirmaram que o líder da oposição russa Alexei Navalny foi envenenado com o agente do grupo Novichok. Na foto um homem segura um cartaz com um retrato de Alexei Navalny: "Navalny foi envenenado, sabemos quem é o culpado, Alexei você deve viver", durante um protesto em Khabarovsk, Rússia. AP - Igor Volkov
Texto por: RFI
3 min

O governo alemão afirmou nesta segunda-feira (14) que laboratórios da França e da Suécia confirmaram o envenenamento do opositor russo Alexei Navalny com o agente neurotóxico Novichok.

Publicidade

Um laboratório militar alemão concluiu, em 3 de setembro, que o opositor russo, de 44 anos, foi envenenado com um potente agente neurotóxico, o que Moscou nega. O porta-voz da chanceler Angela Merkel, Steffen Seibert, disse que a Alemanha pediu à França e à Suécia "uma revisão independente da evidência alemã a partir de novas amostras de Navalny", que continua hospitalizado em Berlim.

"Os resultados da revisão em laboratórios especializados da França e da Suécia estão disponíveis e confirmam a evidência alemã", declarou Seibert. "Até o momento, três laboratórios apresentaram de maneira independente a prova de que um agente neurotóxico do grupo Novichok é a causa do envenenamento de Navalny", reiterou o porta-voz.

O uso de Novichok "constitui uma violação grave da Convenção sobre as Armas Químicas", lembrou. Por este motivo, "Berlim solicitou à Organização para a Proibição das Armas Químicas (OPAQ) a análise das provas do caso Navalny", afirmou Seibert, antes de recordar que a Convenção sobre as Armas Químicas prevê "assistência técnica da OPAQ a todos os Estados signatários".

 Análises laboratoriais

A OPAQ "extraiu amostras de Navalny e tomou as medidas necessárias para as análises nos laboratórios de referência da organização", destacou o porta-voz alemão. "Reiteramos o pedido para que a Rússia apresente explicações sobre o que aconteceu", insistiu. "Estamos em estreita colaboração com nossos sócios europeus no que diz respeito às próximas etapas", concluiu.

Moscou pediu a Berlim que entregue as informações sobre o estado de saúde do opositor russo, especialmente as análises do laboratório alemão que identificaram uma substância do tipo Novichok. De acordo com as autoridades russas, as análises feitas durante a internação de emergência de Navalny em Omsk, Sibéria, não revelaram a existência de nenhuma substância tóxica no organismo do ativista.

(Com informações da AFP)

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.