Quatro britânicos são julgados no caso dos 39 vietnamitas mortos em caminhão frigorífico

O caminhão onde foram descobertos os 39 corpos de migrantes vietnamitas na localidade de Grays, zona industrial a cerca de 30 quilômetros a leste de Londres.
O caminhão onde foram descobertos os 39 corpos de migrantes vietnamitas na localidade de Grays, zona industrial a cerca de 30 quilômetros a leste de Londres. REUTERS/Peter Nicholls

Começou nesta segunda-feira (5), em Londres, o julgamento de quatro britânicos acusados de envolvimento na morte de 39 migrantes vietnamitas, em outubro do ano passado, no Reino Unido. Os corpos dos migrantes foram encontrados dentro de um caminhão frigorífico, no sudoeste da Inglaterra. As vítimas morreram de asfixia e hipotermia, segundo as investigações.

Publicidade

Os dois principais suspeitos no caso, o motorista do caminhão em que os corpos foram encontrados e um norte-irlandês, apontado como responsável pela organização do trabalho dos motoristas que participavam do tráfico de imigrantes, já haviam se declarado culpados e terão suas penas anunciadas em uma nova audiência.

Os outros quatro homens agora em julgamento, com idades que variam de 23 a 43 anos, são acusados de homicídio culposo e/ou auxílio à imigração ilegal. Todos rejeitam as acusações. O processo está programado para durar seis semanas.

Neste primeiro dia de trabalhos, o tribunal procedeu à seleção de 22 pessoas dentre as quais serão escolhidos os membros do júri. A audiência sobre o mérito do caso será realizada na quarta-feira (7).

A morte trágica dos migrantes chocou a imprensa europeia. Em 23 de outubro de 2019, os corpos de 31 homens e oito mulheres, incluindo dois adolescentes de 15 anos, foram encontrados em um caminhão frigorífico na área industrial de Grays, no leste de Londres. O veículo veio do porto belga de Zeebrugge.

Uma das vítimas, Pham Thi Tra My, de 26 anos, enviou um SMS assustador aos seus familiares, poucas horas antes de os corpos serem encontrados: "Mãe, pai, amo muito vocês. Estou morrendo, não consigo mais respirar."

Muitas vítimas desse drama vieram de uma região pobre do centro do Vietnã, onde famílias tomam emprestado milhares de dólares para enviar um parente ao Reino Unido, por meio de redes clandestinas, na esperança de encontrar um emprego bem remunerado.

Regime de semiescravidão

A tragédia trouxe à tona os perigos potenciais da imigração ilegal, com traficantes inescrupulosos aproveitando-se da vulnerabilidade dos candidatos. Muitos acabam reduzidos a uma situação de semiescravidão.

Sete pessoas foram condenadas em 15 de setembro no Vietnã por sua participação no caso. Um tribunal da província de Ha Tinh (centro) proferiu sentenças de dois anos e meio a sete anos e meio de prisão contra quatro vietnamitas, com idades de 26 a 36 anos. Eles foram considerados culpados de participar, em diferentes níveis, da "organização do tráfico de migrantes". Três outros membros do grupo foram condenados a penas de prisão suspensas.

Também foram abertas investigações na França e na Bélgica, com 13 suspeitos acusados em cada um dos países. Essas pessoas foram detidas no âmbito de uma ampla operação policial internacional, coordenada pelo organismo de cooperação judiciária Eurojust.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.