Acessar o conteúdo principal

Pandemia bate novo recorde no mundo, com mais de meio milhão de casos em apenas um dia

Testes em massa ajudam a detectar novos casos de Covid-19, mas especialistas afirmam que essa não é a única explicação para o aumento no número de novos contaminados confirmados.
Testes em massa ajudam a detectar novos casos de Covid-19, mas especialistas afirmam que essa não é a única explicação para o aumento no número de novos contaminados confirmados. AP - Francisco Seco
Texto por: RFI
3 min

O mundo registrou na noite de terça-feira (27) um recorde de mais de 500.000 novos casos de coronavírus. A Europa é o continente onde a pandemia avança mais rápido.

Publicidade

No total, foram declaradas 516.898 novas infecções e 7.723 vítimas fatais. Mais da metade dos casos registrados em 24 horas estão localizados nos dez países mais afetados: Estados Unidos, Índia, Brasil, Rússia, França, Espanha, Argentina, Colômbia, Reino Unido e México.

A política de testes em massa implementada em alguns países ajuda a detectar novos casos de Covid-19. No entanto, especialistas afirmam que essa não é a única explicação para o aumento considerável no número de novos contaminados confirmados.

A União Europeia (EU) é a região que mais preocupa, com uma média diária de mais de 220.000 novos casos nos últimos sete dias, um aumento de 44% em relação à semana anterior. Em um momento em que vários países do Velho Continente estão aumentando as restrições para controlar essa segunda onda, a região se aproxima dos 2.000 mortos por dia – 500 apenas na França. Durante o pior momento da pandemia, em abril, eram registrados mais de 4.000 mortes diárias no bloco europeu.

UE vai liberar mais verbas

"A situação é muito séria, mas ainda podemos mudá-la. Ainda podemos frear a propagação do vírus se cada um cumprir com sua responsabilidade", declarou presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. Para melhorar a resposta do bloco à segunda onda da pandemia, a UE anunciou nesta terça-feira (28) que destinará uma verba complementar para a compra de exames rápidos de Covid-19.

"Recomendamos aumentar nossa capacidade para fazer exames. Os testes rápidos estão chegando agora ao mercado. Isto pode ter um papel importante (...) Da nossa parte, destinamos € 100 milhões (quase R$ 700 milhões) para a compra de exames rápidos", disse a presidente da Ursula von der Leyen. Os testes, completou a alemã, serão distribuídos pelos países membros do bloco.

Von der Leyen disse que a Europa não enfrenta apenas o vírus, mas também o que denominou de "cansaço" diante da situação. "As pessoas estão cada vez mais cansadas das medidas de prevenção, e posso entender que há pessoas que sofrem por causa do vírus", disse, antes de apontar que "não é o momento de relaxar".

Alta preocupante nos Estados Unidos e Índia  

Os Estados Unidos, que já contam com 8,7 milhões de pessoas contaminadas, também vivem um aumento no número de casos detectados. Pela primeira vez, o país registrou mais de 500.000 infectados em uma semana, enquanto na semana passada eram 370.000.

Já a Índia, que segue os Estados Unidos nas estatísticas, se aproxima dos 8 milhões de pessoas contaminadas. O país registrou mais de 40 mil casos suplementares apenas na terça-feira (27).

(Com informações da AFP)

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.