Socorristas resgatam 11 dos 22 mineiros soterrados há duas semanas na China

Equipes de resgate trabalham há vários dias nas operações de salvamento dos trabalhadores bloqueados em uma mina de Qixia, leste da China.
Equipes de resgate trabalham há vários dias nas operações de salvamento dos trabalhadores bloqueados em uma mina de Qixia, leste da China. VIA REUTERS - CHINA DAILY
Texto por: RFI
3 min

Equipes de resgate conseguiram salvar neste domingo (24) 11 dos 22 mineiros soterrados há duas semanas em uma mina de ouro de Qixia, na província de Shandong, leste da China. Os trabalhadores ficaram bloqueados sob a terra após uma explosão acidental em 10 de janeiro.

Publicidade

Primeiramente, os socorristas informaram nesta manhã que um mineiro havia sido retirado, "extremamente enfraquecido". Logo depois, outros dez homens foram resgatados pela equipe que trabalha incansavelmente há vários dias. 

As operações são acompanhadas pela televisão em todo o país. Segundo o canal estatal CCTV, o resgate foi possível graças ao desbloqueio de um canal de ventilação da mina. 

Na sexta-feira (22), as autoridades informaram que devido à estrutura geológica do solo, constituído de rochas duras, como o granito, as equipes de salvamento precisariam no mínimo de mais 15 dias para retirar os mineiros do local. O aumento do nível da água subterrânea também dificulta as operações. 

Um morto e 10 desaparecidos 

Segundo as autoridades, ao menos um mineiro morreu, depois de ter sido gravemente ferido na explosão. Ele fazia parte do grupo que foi socorrido neste domingo, que estava bloqueado a 580 metros abaixo da superfície. Através de um orifício aberto na rocha, eles puderam receberam alimentos, medicamentos e telefones para se comunicar com as equipes de resgate.

Outros dez são considerados desaparecidos, já que os socorristas jamais conseguiram estabelecer contato com eles. "Não sabemos quando será possível chegar à sexta seção da mina onde eles devem estar", afima Du Bingjian, especialista em operações de resgate que trabalha no local. 

A demora para o início das operações se deve ao atraso das autoridades locais que esperaram um dia para pedir ajuda. O chefe do Partido Comunista de Qixia e o prefeito da cidade foram responsabilizados e demitidos. 

Acidentes em minas são frequentes na China, devido às precárias medidas de segurança e ao descumprimento das normas. Em dezembro de 2020, 23 mineiros morreram em uma escavação de carvão em Chongqing, no sudoeste do país. 

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.