Tempestades provocam mais de 90 mortos em deslizamentos e enchentes em Timor Leste e Indonésia

Enchentes provocadas por tempestades provocaram mortes e destruição em Timor Leste e Indonésia (5/4/21).
Enchentes provocadas por tempestades provocaram mortes e destruição em Timor Leste e Indonésia (5/4/21). Joy Christian AFP

Mais de 90 pessoas morreram e dezenas de outras continuam desaparecidas em enchentes e deslizamentos de terra na Indonésia e em Timor Leste, onde aldeias foram devastadas, disseram as autoridades locais na segunda-feira (5).

Publicidade

Inundações e enchentes repentinas causadas por chuvas torrenciais causaram estragos em áreas entre Flores, na Indonésia, e Timor Leste, levando milhares a procurar abrigo em centros de emergência.

O dilúvio causou transbordamentos em reservatórios de água e inundou milhares de casas, enquanto as equipes de resgate lutavam para prestar assistência às vítimas.

A agência indonésia de gestão de catástrofes relatou 66 mortes, em comparação com 55 relatadas anteriormente.

Mais de 21 pessoas foram mortas em Timor Leste, de acordo com autoridades timorenses. A maioria das mortes ocorreu na capital Díli.

No leste da ilha indonésia de Flores, muitas casas, estradas e pontes estavam cobertas de lama, tornando o acesso difícil para as equipes de resgate que tentavam chegar às áreas mais afetadas.

"A lama e o clima são um grande desafio, assim como os destroços que estão se acumulando e dificultando a busca", disse Raditya Djati, porta-voz da agência indonésia de gestão de catástrofes.

Em Lembata, ilha situada a meio caminho entre Flores e Timor, o acesso rodoviário foi interrompido, obrigando as autoridades a colocarem máquinas de construção para reabrir as estradas.

Algumas aldeias localizadas regiões altas foram parcialmente arrastadas em direção à costa por deslizamentos de terra.

Basir Langoday, um residente da ilha, disse ter ouvido pedidos de ajuda de uma casa coberta de escombros.

"Havia quatro pessoas lá dentro. Três sobreviveram, mas não a última", disse ele a repórteres.

O presidente Joko Widodo expressou condolências. “É imensa a tristeza de nossos irmãos e irmãs após esta catástrofe”, disse ele em um discurso à nação.

Nas áreas do desastre, moradores em pânico se aglomeraram em centros de recepção, enquanto outros permaneceram perto do que restou de suas casas.

Necessidade de medicamentos e alimentos

"Os desabrigados estão espalhados por todos os lugares, há centenas deles em todos os distritos, mas muitas pessoas também ficaram em casa", disse Alfons Hada Bethan, chefe da agência de gestão de catástrofes de Flores Oriental. "Eles precisam de remédios, comida, cobertores", acrescentou. A precipitação ainda forte também complica o socorro. “Acredita-se que muitas pessoas ainda estejam enterradas, mas não se sabe quantas”, disse Bethan.

Deslizamentos de terra e inundações repentinas são comuns no arquipélago indonésio, especialmente durante a estação chuvosa. Mas os conservacionistas apontam que o desmatamento favorece essas catástrofes.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.