Japão prolonga estado de emergência devido à Covid-19, a menos de 80 dias das Olimpíadas

Essa é a terceira vez neste ano que as autoridades sanitárias japonesas recorrem a medidas para tentar conter a epidemia de Covid-19 no país.
Essa é a terceira vez neste ano que as autoridades sanitárias japonesas recorrem a medidas para tentar conter a epidemia de Covid-19 no país. AP - Eugene Hoshiko

O governo japonês prolongou nesta sexta-feira (7) o estado de emergência devido à uma nova onda de Covid-19 em quatro departamentos do país. A região de Tóquio, que deve sediar os Jogos Olímpicos, previstos para serem realizados de 23 de julho a 8 de agosto, é alvo da medida. 

Publicidade

O estado de emergência foi imposto a Tóquio e arredores, além de outros três departamentos no último 25 de abril. A restrição que deveria ser encerrada na próxima terça-feira (11), mas foi prorrogada até 31 de maio e estendida a duas outras regiões. 

Essa é a terceira vez neste ano que as autoridades sanitárias japonesas recorrem a medidas para tentar conter a epidemia de Covid-19 no país. As principais restrições são o fechamento de bares e restaurantes que servem bebidas alcoólicas e alguns comércios, como grandes lojas. 

O Japão registra atualmente cerca de 5.300 casos de Covid-19 por dia e contabiliza 10.500 mortos. Embora a quantidade de óbitos não seja alta comparada a outros países, o sistema hospitalar está fragilizado pela forte afluência de doentes e a vacinação avança lentamente.

Ameaça aos Jogos Olímpicos

A nova onda de Covid-19 no Japão ameaça, mais uma vez, a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que deveriam ter ocorrido no ano passado. O evento está previsto para começar em 23 de julho. Os espectadores estrangeiros não poderão ir ao país para assistir às competições e o comitê organizador ainda precisa avaliar como será o acolhimento do público japonês. 

A chegada de mais de 10 mil atletas de cerca de 200 países preocupa a maioria da população, segundo pesquisas recentes. Mais de 200 mil pessoas já assinaram uma petição, lançada na quarta-feira (5), pedindo o cancelamento dos jogos. 

Outros incidentes relacionados aos Jogos Olímpicos desmotivam a população. Kane Tanaka, uma mulher japonesa de 118 anos que é a pessoa mais idosa do mundo, anunciou nesta sexta-feira que não irá mais participar da cerimônia da chama olímpica, devido à nova onda de Covid-19 no país. Moradora de Fukuoka, no sul do Japão, ela deveria carregar a tocha na próxima terça-feira (11). 

No entanto, em comunicado, sua família resolveu cancelar a participação da idosa. "Tendo em vista a situação atual, Kane Tanaka não fará a passagem da tocha", afirmam seus parentes, destacando que essa seria "uma oportunidade preciosa", mas a saúde dela e dos moradores da casa de repouso onde vive é prioridade.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.