China lança "turismo vermelho" para comemorar os 100 anos do PCC no país

O Partido Comunista Chinês celebra seu centenário a partir de 1 de julho, É a ocaisão para visitar locais emblemáticos do "turismo vermelho."
O Partido Comunista Chinês celebra seu centenário a partir de 1 de julho, É a ocaisão para visitar locais emblemáticos do "turismo vermelho." © RFI/Stéphane Lagarde

O PCC chinês, que dirige a segunda economia do mundo, celebra seu centenário a partir do próximo dia 1 de julho. Esta é ocasião para fazer um "tour" no país e visitar os locais emblemáticos do chamado "turismo vermelho", com seminários nos hoteis ao longo do caminho que conta a história do socialismo chinês. 

Publicidade

Stéphane Lagarde e Huang Chenkuang, enviados especiais a Jiaxing

O memorial onde ocorreu o primeiro congresso do Partido Comunista Chinês fica situado na beira do Lago Sul, na cidade de Jiaxing, no norte da província de Zhejiang, no leste da China. Neste período do ano, o calor interrompe algumas atividades em torno do monumento, como o corte da grama, realizado a mão, minuciosamente, pelos jardineiros encarregados da tarefa. 

Há um século, os delegados do primeiro Congresso do Partido Comunista encontraram refúgio aqui, na beira do lago Nahu. O local atrai muitos turistas chineses, que vêm em peregrinação, usando bótons com o símbolo do Partido. "Viemos visitar o "barco vermelho" dos membros do primeiro congresso. É minha empresa que organizou essa atividade para celebrar o centenário. Estamos aqui com meus colegas para visitar e aprender. Somos centenas", disse uma turista chinesa à reportagem da RFI.

Muitos grupos visitam o memorial. Vários passeios são organizados pela Associação Chinesa de Promoção da Democracia. Alguns turistas vêm sozinhos, como esse ciclista filiado ao Partido Comunista que se levantou às 3h da manhã e pedalou 190 km para ver a exposição. 

O governo propõe seminários teóricos nos hoteis para os chamados turistas "vermelhos" aperfeiçoarem seus conhecimentos do socialismo à chinesa. "Estamos lotados", explicou o responsável de clientela de um dos estabelecimentos situados perto do museu do PCC. "Temos três seminários sobre os conhecimentos do partido todos os dias", conta.

No dia da reportagem, uma das salas de reunião do hotel, por exemplo, sediava um curso sobre a história do partido, reservado ao comitê da reforma de um distrito da capital da província de Zhejiang, onde nasceu o PCC. Outra sala foi reservada aos estudantes da célebre universidade Tsinghua, de Pequim. A mídia oficial chinesa insiste na necessidade de promover a história das origens do partido para a juventude, garantindo, assim, sua sobrevivência ao longo das gerações.

Propaganda

Com mais de 91 milhões de membros, o Partido Comunista Chinês aproveitará o aniversário para enaltecer o excepcional crescimento do país, que, sob seu comando e com uma brutal transformação social e econômica, saiu da extrema pobreza até chegar ao posto de segunda potência econômica mundial. "Ouça o Partido, aprecie o Partido, siga o Partido", diz um dos slogans do PCC.

A propaganda faz parte da vida cotidiana na China. Mesmo em tempos normais, nas ruas, são onipresentes "outdoors" e cartazes vermelhos que dão conselhos, estímulo, ou transmitem mensagens oficiais."Vamos construir por toda parte uma imagem civilizada, sejamos todos cidadãos civilizados", diz um cartaz, com a silhueta de uma família ao fundo.

 Outros pôsteres homenageiam Lei Feng, o soldado modelo mais famoso desde a época maoísta (1949-1976), enquanto um telão no centro de Pequim elogia as conquistas do Exército. "Vamos erguer uma nova geração de soldados revolucionários impetuosos, capazes, corajosos e de moral firme", diz uma mensagem, na qual soldados estão em fileira, de capacete e de baioneta nas mãos.

O PCC foi fundado em 1921, em Xangai. Para o seu centenário, em 1º de julho, o país estreará um filme patriótico com a participação de várias personalidades do país. Além disso, uma cerimônia de entrega de medalhas está prevista para acontecer em Pequim, e um desfile está sendo preparado em segredo.

(RFI e AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.