Rússia ameaça com retaliação após bloqueio da mídia estatal russa RT na Alemanha

Sede do canal de televisão Russia Today em Moscou, em 14 de novembro de 2017.
Sede do canal de televisão Russia Today em Moscou, em 14 de novembro de 2017. ILIYA PITALEV / SPUTNIK / AFP

A plataforma de vídeos do YouTube bloqueou os canais alemães da mídia estatal russa RT como sanção por ter violado a política contra a desinformação no contexto da pandemia do coronavírus. Moscou anuncia retaliações contra a mídia alemã.

Publicidade

A plataforma de vídeos do YouTube bloqueou e removeu os canais alemães da mídia estatal russa RT como sanção por terem violado a política contra a desinformação estabelecida pela plataforma em relação à pandemia do coronavírus.

Uma decisão que a direção do canal russo descreve como “guerra midiática”. No entanto, a plataforma YouTube já havia alertado várias vezes sobre a disseminação desse tipo de mensagens ligadas a teorias da conspiração em questões de saúde, restringindo parcialmente alguns vídeos de conteúdo, mas o ex-Russia Today (hoje somente RT) vinha contornando as restrições lançando seus vídeos em outros canais secundários.

A decisão tem impacto diplomático, já que Moscou não demorou a lançar ameaças por considerar que a decisão do YouTube tem o apoio explícito das autoridades alemãs para impedir a expansão do canal no país europeu.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia emitiu um comunicado no qual apontou que a adoção de "medidas retaliatórias simétricas" contra os meios de comunicação alemães que operam em território russo é "apropriada".

"As tentativas do gigante da internet (YouTube) de vincular tais ações atrozes com 'violações das regras internas da comunidade' como justificativa para esta manifestação evidente de censura e supressão da liberdade de expressão não podem e não serão consideradas", conclui a declaração.

A mídia estatal russa RT pretende se expandir na Alemanha e um programa de televisão faz parte dos planos, com lançamento previsto para dezembro. No entanto, ele não possui uma licença de transmissão, de acordo com a agência alemã DPA.

O canal russo é frequentemente acusado por vários países ocidentais de ser uma ferramenta do Kremlin para promover movimentos políticos que podem desestabilizar o poder central, como o movimento de independência catalã na Espanha ou os coletes amarelos na França.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI