Esportes

Palmeiras inicia no Catar busca por sonhado título do Mundial e mira o poderoso Bayern

Áudio 06:58
Os jogadores do Palmeiras, durante treinamento, na cidade de Doha, Catar.
Os jogadores do Palmeiras, durante treinamento, na cidade de Doha, Catar. © Cesar Greco
Por: Tiago Leme
14 min

Depois de conquistar o título da Libertadores da América na última semana, o Palmeiras começa neste domingo (7) a busca por um sonho: o título do Mundial de Clubes. Para isso, a equipe brasileira terá uma missão bastante complicada na competição organizada pela Fifa no Catar, apenas com torcida local. O provável adversário na final é o poderoso Bayern de Munique, atual campeão europeu, que venceu na decisão da Champions League o Paris Saint-Germain, em Lisboa, e antes goleou o Barcelona por 8 a 2, nas quartas-de-final.

Publicidade

Por Tiago Leme, de Doha (Catar)

Mas antes de pensar nos alemães, o Palmeiras precisa vencer a estreia deste domingo, marcada para às 15h (horário de Brasília). Será um confronto difícil contra o Tigres, do México, que na quinta-feira (4) ganhou do Ulsan Hyundai, da Coreia do Sul, por 2 a 1. O grande destaque das quartas-de-final foi o experiente atacante francês Gignac, autor dos dois gols. Já o Bayern encara na segunda-feira (8) o Al Ahly, do Egito, que fez 1 a 0 no Al Duhail, time da casa que conta com o ex-palmeirense Dudu.

Ciente do desafio que o time alviverde tem pela frente, o técnico português Abel Ferreira falou sobre as dificuldades do Mundial, mas também deixou claro que a meta é ser campeão.

“É fruto de um percurso, de um trabalho realizado, começado há vários meses. É um prêmio por isso, mas o nosso grupo é ambicioso. Nós muitas vezes somos capazes de fazer muito mais e muito melhor daquilo que pensamos. E para nós estar aqui é um desafio, mas é ao mesmo tempo um grande objetivo”, disse o treinador.

O técnico do Palmeiras, Abel Ferreira, no Catar.
O técnico do Palmeiras, Abel Ferreira, no Catar. CESAR GRECO

Gabriel Menino

Um dos destaques do time comandado por Abel é o jovem Gabriel Menino. O atleta de 20 anos, que foi promovido ao elenco profissional do Palmeiras no início de 2020, diz estar vivendo um sonho de criança. Nesta temporada junto com o clube, ele já foi campeão paulista, da Libertadores e está na final da Copa do Brasil, além de disputar o Mundial.

“Às vezes eu me pergunto porque as coisas estão acontecendo tão rápido na minha vida. Seleção brasileira, final da Libertadores, Mundial, campeonatos que eu assistia pela TV, sempre tinha o sonho, a vontade de jogar esses campeonatos. E graças a Deus, hoje eu estou realizando. Eu pude conquistar a final da Copa Libertadores junto com todo o elenco, e estamos vivendo o sonho de disputar o Mundial”, disse o lateral e meio-campista alviverde.

Por causa da pandemia do coronavírus, as fronteiras do Catar estão fechadas para o turismo. Com isso, nenhum torcedor do Palmeiras e nem de nenhum outro clube pôde viajar ao país do Oriente Médio. Porém, o Verdão contará, sim, com o apoio nas arquibancadas, mesmo que de uma pequena parte da torcida, já que os residentes no Catar podem ir aos jogos. Está liberada a presença de público nos estádios, com capacidade reduzida a no máximo 30%.

O ônibus do Palmeiras em frente ao estádio Education City, local do jogo deste domingo.
O ônibus do Palmeiras em frente ao estádio Education City, local do jogo deste domingo. CESAR GRECO

Palmeirense na arquibancada

Um dos palmeirenses que estará no estádio Education City na semifinal deste domingo é Silvio Arroyo Filho, um veterinário brasileiro que mora em Doha há dez anos. Ele lamentou a ausência da torcida que não poderá viajar do Brasil, mas destacou o seu privilégio de estar presente.

“A gente viveu tudo em 2019 com o Flamengo aqui, a festa que foi, a quantidade de brasileiros que veio, eles aproveitando o país, conhecendo o país. E pensar que a gente não vai poder viver isso com a nossa torcida, deixa a gente bem chateado, principalmente para os meus filhos, que iriam poder curtir bastante essa festa toda. Por outro lado, ter esta oportunidade é uma responsabilidade também, tentar representar todo mundo que está no Brasil, essa torcida enorme, linda, fanática”, afirmou.

O torcedor admite que não será nada fácil o Palmeiras superar o Bayern de Munique em uma eventual decisão do Mundial. No entanto, ele cita o desgaste físico do Palmeiras, pelo excesso de jogos e viagens, e alerta também para o compromisso da semifinal contra o Tigres.

“A gente sempre acredita. Mas imaginar um time que ganhou a Champions League ganhando todos os jogos, com 100% de aproveitamento, a gente sabe como é difícil. Mas futebol é futebol, são 90 minutos. Acho que a semifinal vai ser muito difícil, porque o time do México é muito bom, muito experiente, já está aqui faz tempo. O Palmeiras chegou agora na quarta-feira (3), teve só quinta, sexta e sábado para se preparar, e o fuso horário de seis horas de diferença. Quando eu venho do Brasil pra cá demora de uma semana a dez dias para voltar ao ritmo normal, dormir uma noite inteira. Então, eu acho que isso pode complicar um pouquinho o Palmeiras”, disse Silvio.

Maior sonho

A conquista do Mundial de Clubes é um verdadeiro sonho para os palmeirenses, que são constantemente alvo de brincadeiras de torcedores rivais. Isso porque os grandes adversários da cidade, Corinthians, São Paulo e Santos, já foram campeões do mundo, seja nas competições organizadas pela Fifa, a partir de 2000, ou na antiga Copa Intercontinental.

O Verdão se considera campeão mundial em 1951 e até já pediu o reconhecimento deste título à Fifa. Na ocasião, a equipe conquistou o Torneio Internacional de Clubes Campeões, também conhecido por Copa Rio, disputado no Rio de Janeiro, e foi a primeira grande competição intercontinental de clubes de futebol na história. O Verdão ergueu a taça ao superar a Juventus, da Itália, na decisão no Maracanã. O comitê executivo da Fifa chegou a enviar um ofício ao clube reconhecendo a importância do torneio na época, mas não há atualmente uma declaração oficial com chancela de “campeão do mundo”. Com isso, fica sempre a polêmica se o time vai agora em busca do bicampeonato ou do título inédito.

O Palmeiras deve começar o duelo deste domingo com a mesma escalação que venceu o Santos, por 1 a 0, no Maracanã, pela final da Libertadores no dia 30 de janeiro. Os titulares são: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Viña: Danilo, Zé Rafael, Gabriel Menino e Raphael Veiga; Rony e Luiz Adriano.

Breno Lopes, que saiu da reserva no Rio de Janeiro para fazer o gol do título sul-americano, está fora do Mundial. O atacante viajou ao Catar para acompanhar o time, mas não pôde ser inscrito no torneio por ter sido contratado depois do fechamento da janela internacional de transferências. Sem ele, o Verdão busca um novo herói para conquistar o mundo.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.