Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Espanha prevê uma semana de transtornos com frio semelhante ao da Escandinávia

Áudio 04:28
Pessoas caminham em ruas nevadas de Madri.
Pessoas caminham em ruas nevadas de Madri. GABRIEL BOUYS AFP/File
Por: RFI
9 min

A tempestade Filomena deixou a Espanha, mas a situação meteorológica continua preocupante no país. A madrugada desta segunda-feira (11) trouxe uma onda de frio extremo que deve se prolongar até quinta-feira. Os termômetros vão despencar a temperaturas abaixo de zero, podendo alcançar -17°C, principalmente na área central do país.

Publicidade

Fina Iñiguez, correspondente da RFI em Barcelona

Em Madri, as temperaturas podem chegar a -11 graus, batendo o recorde mínimo de temperatura de -10 graus registrado em 1945, de acordo com a Agência Meteorológica Espanhola (Aemet). Se a neve provocou caos, as baixas temperaturas podem ser muito perigosas para os veículos e pedestres porque vão transformar a neve em grandes placas de gelo, que podem provocar mais acidentes no trânsito, queda de árvores e desmoronamento de telhados.

O prefeito de Madri, José Luis Martínez-Almeida, admitiu que a capital espanhola não deve recuperar a normalidade até o próximo fim de semana.

O ministro de Transportes, José Luis Ábalos, prevê que os trens de alta velocidade e as linhas ferroviárias de média e longa distâncias voltem a funcionar normalmente a partir desta segunda-feira.

Espera-se também que a atividade no Aeroporto Internacional de Barajas, em Madri, se recupere gradativamente. Cerca de 600 pessoas ficaram bloqueadas, com o cancelamento de todos os voos na sexta-feira (8) passada.

No domingo (10) à tarde, começaram a sair os primeiros voos de Barajas e estão agendados para esta segunda-feira (11) os de chegada, incluindo o que transporta um carregamento de 300 mil doses da vacina contra o Covid-19 produzida pelo grupo farmacêutico Pfizer em parceria com a BioNTech na Bélgica.

Madri, Aragão e Castilla-La Mancha anunciaram que, por enquanto, vão suspender as aulas até terça-feira (12). Escolas de áreas rurais muito afetadas pelas temperaturas glaciais, como Ávila e Sória, também permanecerão fechadas. Em Burgo de Osma, os termômetros despencaram a -17,5ºC às 6h desta segunda-feira.

A tempestade Fiolomena afetou muito algumas zonas de Tarragona e Lleida, na Catalunha, deixando mais de 6.300 casas sem eletricidade e sem telefone. As escolas da região vão fechar pelo menos até quarta-feira (13).

Em Madri, o fechamento das estradas impediu o funcionamento habitual dos serviços de pronto-socorro nos hospitais. Porém, o Ministério da Saúde garante que a nevasca não interrompeu a campanha de vacinação contra a Covid-19. A imunização prosseguiu em pelo menos sete hospitais, graças, sobretudo, aos profissionais da saúde que dobraram os plantões enquanto os acessos estavam bloqueados.

Distribuição de alimentos e vacinas

O governo espanhol declarou que a prioridade, neste momento, é restabelecer a distribuição de alimentos e garantir que as vacinas contra a Covid-19 cheguem a todas as regiões espanholas.

Cerca de 700 estradas seguem bloqueadas na Espanha devido à tempestade. Em Madri, embora continuem as restrições, o trânsito está sendo liberado aos poucos. A previsão é que a mobilidade retorne ao normal no final desta semana.

O ministro dos Transportes admitiu que agora vem a fase mais complicada. Depois da neve, se as temperaturas permanecem muito baixas, as vias de circulação ficam escorregadias pela formação de camadas de gelo. Para evitar o congelamento do asfalto, mais de 1.300 veículos limpa-neve trabalham sem descanso.

Com exceção do metrô de Madri que operou sem muitos problemas, inclusive oferecendo trens durante a madrugada, o transporte público ainda está perturbado. Por outro lado, os ônibus urbanos e interurbanos, assim como os trens de longa distância que saem da capital para outras regiões espanholas, voltaram a operar.

A Comunidade de Valência, também bastante afetada pela tempestade, vem recuperando a normalidade, principalmente nas estradas e no transporte ferroviário.

A tempestade Filomena deixou pelo menos quatro mortos: um casal arrastado por uma enxurrada em Málaga, um homem de 54 anos cujo corpo foi encontrado debaixo da neve em Madri e uma pessoa sem teto encontrada morta em Saragoça.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.