Acesso ao principal conteúdo
Mali>

13 militares franceses mortos num choque de 2 helicópteros no Mali

Patrulha de helicópteros de militares franceses no Mali, onde 13 deles morreram num acidente
Patrulha de helicópteros de militares franceses no Mali, onde 13 deles morreram num acidente PASCAL GUYOT / AFP
Texto por: João Matos
5 min

A França está de luto após a morte ontem de 13 dos seus militares em missão no norte do Mali, quando viram 2 dos seus helicópteros chocarem-se em plena operação contra jiadistas que actuam na zona do Sahel. São heróis que tombaram na luta contra o terrorismo no Sahel, declarou o Presidente francês, Emmanuel Macron. 

Publicidade

13 militares franceses da operação Barkhane morreram ontem à noite no Mali num choque entre dois helicópteros que cumpriam uma missão de combate contra jiadistas num contexto securitário alarmante no Sahel.

Trata-se de um balanço muito pesado para os militares franceses desde o começo da sua instalação no Sahel em 2013 e uma das piores perdas do exército francês desde o atentado de Drakkar no Líbano, em 1983, que fez então 58 mortos.

O acidente aconteceu durante uma operação de combate em Liptako, na região de Ménaka, nos confins do Mali, do Níger e do Burkina Faso, onde a força antijiadista francesa Barkhane leva regularmente a cabo operações contra grupos armados, nomeadamente, o grupo jiadista Estado islâmico do grande Saara. 

Heróis serão homenageados pela Nação francesa

"Estes 13 heróis  só tinham como objectivo proteger-nos", reagiu na sua conta Twitter, o Presidente francês, Emmanuel Macron, que, paralelamente, num comunicado, saudou "com o maior respeito a memória desses militares do exército de terra, 6 oficiais, 6 sub-oficiais e um 1°cabo, tombados em operação e mortos pela França no terrível combate contra o terrorismo no Sahel". 

Por seu lado, a ministra dos Exércitos, Florence Parly, declarou que "esta terrível notícia deixa de luto os nossos exércitos, a comunidade da defesa e a França inteira". 

Uma homenagem nacional, presidida pelo chefe de Estado, Macron, será prestada às vítimas, nos próximos dias, acrescentou a ministra. 

De notar ainda que o governo do Mali e o Presidente do Burkina Faso, Roch Marc Christian Kaboré, exprimiram nas redes sociais a sua solidariedade à França, cujos militares combatem os jiadistas ao lado dos seus exércitos nacionais. 

Enfim, com o acidente de ontem, eleva-se para  41, o número de militares franceses mortos no Sahel desde a intervenção francesa, em 2013, com a operação Serval, segundo um balanço publicado pelo estado maior do exército.

13 militares franceses mortos em missão contra o terrorismo no Mali

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.