Acesso ao principal conteúdo
Revista de Imprensa

Legislativas e Referendo preocupam na Guiné Conacri

Áudio 05:37
Revista de Imprensa francesa.
Revista de Imprensa francesa. © Marco Martins/RFI
Por: Marco Martins
10 min

Os jornais franceses desta quarta-feira apresentam primeira páginas diversificadas com particular destaque para o continente africano.

Publicidade

O jornal conservadorLe Figaro’ tem como título: “Efervescência na Guiné em véspera de legislativas”. A oposição apela ao boicote das eleições e do referendo, enquanto manifestações estão programadas.

No domingo decorrem as eleições legislativas na Guiné Conacri, que deviam ter ocorrido há um ano, que vão servir para medir as forças em presença, quer seja a favor do actual presidente, Alpha Condé, quer seja a favor do principal opositor, Cellou Dalein Diallo, líder da União das Forças Democráticas da Guiné.

No centro das discórdias está o número de eleitores que passou de 4 milhões em 2015, a 7,5 milhões este ano, num país que conta com 12 milhões de pessoas.

Segundo a Organização internacional da Francofonia, há um erro de 2,5 milhões no número total de eleitores, entre os que foram inscritos várias vezes e os que já faleceram.

Aliás a organização admitiu que não podia seguir o processo eleitoral nestas condições. De referir que ao mesmo tempo haverá um referendo para modificar a Constituição do país, isto permitiria, segundo o diário, a Alpha Condé candidatar-se a um terceiro mandato, algo que seria ilegal visto que a presente Constituição apenas permite dois.

Em entrevista ao ‘Le Figaro’, Alpha Condé, Presidente da antiga Guiné francesa há dez anos, questiona porque é que “seria impossível fazer três mandatos?

O comunista L’Humanité’ titula: “Burkina Faso perto do colapso”. A 6ª cimeira do G5 Sahel decorreu ontem na Mauritânia, no entanto os países-membros não conseguem parar o ciclo da violência.

A Mauritânia é aliás uma excepção visto que sofreu ataques terroristas em 2005, mas desde 20 de Dezembro de 2011, não houve mais mortos civis e militares. Em contra-partida os conflitos prosseguem numa zona que junta três países, Burkina Faso, Mali e Níger. No Níger por exemplo morreram 174 militares nos meses de dezembro e de janeiro.

Quanto ao Burkina Faso, cerca de 800 mil pessoas fugiram das violências que ocorrem no país. O Estado não consegue parar a violência, aliás o Presidente Roch Marc Christian Kaboré adoptou uma lei permitindo o recrutamento de voluntários que possam defender o país.

Hosni Moubarak, o jugo mais longo”, eis o título do diário de esquerdaLibération’. Anunciada uma dezena de vezes nas redes sociais, a morte de Hosni Moubarak aconteceu na terça-feira de manhã. Com 91 anos, o Presidente cuja queda ocorreu em 2011, estava obcecado pela estabilidade do seu país e na região, o que lhe valeu um apoio financeiro dos Estados Unidos sem falhas. No entanto o imobilismo social e económico fez com que a população continuasse na miséria durante 30 anos, eis o retrato do antigo presidente egípcio realizado pelo jornal.

No católicoLa Croix’, o título em destaque é: “Na Armadilha de Idlib”. Para o jornal não há nenhuma solução à vista e estamos perante uma crise humanitária importante. Recorde-se que milhares de pessoas, em Idlib, sofrem dos confrontos entre as forças do regime sírio, apoiadas pela Rússia, e as forças turcas. Segundo deslocados, o regime sírio ataca em prioridade os hospitais. A ONU já alertou que estamos perante a pior crise humanitária do Século 21, e a pior a seguir à Segunda guerra mundial.

No vespertinoLe Monde’, o título é: “Mariana Ramos canta a doçura da morna”. Segundo o diário, a cantora cabo-verdiana defende o seu novo álbum em concerto em Paris. O seu sétimo álbum, intitulado ‘Morna’, não tem ambiguidade sobre a sonoridade que se vai encontrar nas músicas interpretadas pela cantora. Após ter apostado noutras sonoridades, Mariana Ramos dedicou um álbum inteiro à Morna, género popularizado por Cesaria Evora. A cantora cabo-verdiana, que começou a escrever o novo trabalho antes da Morna ser reconhecida como Património Imaterial da UNESCO, lembra que este género musical é “a nossa identidade musical e cultural”.

Por fim no jornal desportivoL’Equipe’, o destaque vai para o encontro entre o Lyon e a Juventus num jogo a contar para os oitavos da Liga dos Campeões europeus com o título: “Calafrios Europeus”. O Lyon, em dificuldades no campeonato francês, vai desafiar a Juve do português Cristiano Ronaldo que será apoiada por 3 000 mil adeptos italianos presentes no estádio apesar da propagação do coronavírus no Norte da Itália.

A revista de imprensa francesa volta na quinta-feira.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.