Acesso ao principal conteúdo
África

Eleitores do Malauí estão hoje a votar em eleições presidenciais

Os dois principais candidatos às presidenciais de hoje, presidente cessante, Peter Mutharika e o líder da oposição, Lazarus Chakwer
Os dois principais candidatos às presidenciais de hoje, presidente cessante, Peter Mutharika e o líder da oposição, Lazarus Chakwer AFP
Texto por: RFI
4 min

Os eleitores do Malauí votam hoje em eleições presidenciais depois de mais de um ano da anulação histórica da reeleição do Presidente cessante, Peter Mutharika, devido a um escrutínio manchado por fraudes em larga escala. O escrutínio é dominado por dois candidatos, o presidente cessante e o candidato da oposição, Lazaro Chakwera. 

Publicidade

O Malauí  está de regresso às urnas para eleger o seu presidente, um ano depois da anulação histórica da reeleição de Peter Mutharika, numas presidenciais manchadas por fraudes em larga escala. 

No final duma campanha ritmada por várias reuniões apesar da pandemia de Covid-19, Peter Mutharika, de 79 anos, tem como principal adversário o chefe da oposição, Lazarus Chakwera, de 65 anos.

O terceiro candidato destas eleições presidenciais, Peter Kuwani não está em condições de perturbar os dois principais candidatos que dominam a cena política no Malauí.

Recorda-se que no termo da eleição de 21 de maio de 2019, a Comissão eleitoral, tinha proclamado a vitória do presidente cessante, Peter Mutharika, com 38,57% dos votos enquanto o chefe da oposição, Lazarus Chakwera ficou com 35,41%. 

Mas o candidato Lazarus Chakwera denunciou fraudes, recorreu para o Tribunal constitucional e nunca aceitou os resultados divulgados pela Comissão eleitoral.

Comissão eleitoral promete transparência e ONU quer eleições pacíficas

O candidato da oposição, acabou por ganhar junto do Tribunal constitucional que anulou a vitória do presidente cessante Mutharika, confirmando "irregularidades generalizadas e sistemáticas".

Apresentado por vários analistas como o favorito deste novo escrutínio, Lazarus Chakwera, votou esta manhã em Lilongwe, onde foi recebido por vários apoiantes, declarando querendo combater a corrrupção no país.

De notar que ele conta com o apoio do candidato do ano passado, Saulos Chilima, que rompeu com o Presidente cessante e obteve então  20,2% dos votos.

Por seu lado, o candidato presidente cessante, vota no fim do dia na capital económica, Blantyre.

O novo presidente da Comissão eleitoral, Chifundo Kachale prometeu eleições transparantes.

Enfim, a nível internacional, o secretário geral da ONU, António Guterresi, apelou através do seu porta-voz, Stéphane Dujarric, os candidatos apoiados pelos seus partidos a "renovar o seu compromisso a favor de eleições credíveis e pacíficas."

Repetição de eleições presidenciais

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.