Acesso ao principal conteúdo
Malawi/Política

Eleições no Malawi marcadas por irregularidades segundo presidente cessante

O chefe de Estado cessante do Malawi, Peter Mutharika, afirma que escrutínio para a eleição presidencial do dia 23 de Junho de 2020, caracterizou-se por uma série de irregularidades.
O chefe de Estado cessante do Malawi, Peter Mutharika, afirma que escrutínio para a eleição presidencial do dia 23 de Junho de 2020, caracterizou-se por uma série de irregularidades. AFP
Texto por: RFI
2 min

O Presidente cessante do Malawi, Peter Mutharika, afirma que o novo escrutínio para a eleição presidencial, realizado na terça-feira, foi marcado por irregularidades. Os resultados provisórios do escrutínio apontam para uma vitória do seu rival Lazarus Chakwera.        

Publicidade

Os eleitores maláwis foram às  urnas na terça-feira, depois do Tribunal Constitucional  ter decidido anular,  por  fraude, o escrutínio da eleição presidencial  de 21 de Maio de 2019, na  qual Peter Mutharika tinha sido reeleito.  

De  acordo com  Mutharika, a  eleição do  dia 23  de Junho caracterizou-se por  irregularidades. Em conferência de imprensa, realizada neste sábado, o Presidente cessante afirmou que não esperava por  um escrutínio irregular, considerando que foi a  pior eleição da história  do  seu país.

Peter Mutharika, que representa o Partido Democrático Progressista ( DPP), sublinhou que os  resultados comunicados à Comissão Eleitoral não são o reflexo da vontade popular. Todavia, ele não pediu a organização  de  um novo escrutínio.

Os resultados não oficiais recolhidos pela MBC (Malawi Broadcasting Corporation), televisão pública, apontam para uma vitória do opositor Lazarus Chakwera, que representa o Partido do Congresso do Malawi (MCP),  com  60% dos sufrágios contra 39% para Mutharika.

O Partido Democrático Progressista  ameaçou, que iria rejeitar os resultados finais da eleição geral.

Em Maio de 2019, Peter Mutharika tinha sido proclamado vencedor da eleição presidencial com 38,57%  dos votos. Lazarus Chakwera terminara na segunda posição com  35,41% .

A  eleição de Maio de 2019 foi invalidada pelo Tribunal Constituticional do Malawi em Fevereiro de 2020, por considerar que o  escrutínio tinha sido marcado por  irregularidades generalizadas e sistemáticas.

A entidade constitucional decidiu, por  conseguinte,  que fosse realizado um novo escrutínio, depois da anulação proclamada em Fevereiro último.  

Eleições no Malawi marcadas por irregularidades segundo presidente cessante 27 06 2020

               

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.