Acesso ao principal conteúdo
Costa do Marfim

Costa do Marfim: Oposição unida contra candidatura de Ouattara

Antigo Presidente, Henri Konan Bédié na tribuna da oposição contra candidatura de  Alassane Ouattara.
Antigo Presidente, Henri Konan Bédié na tribuna da oposição contra candidatura de Alassane Ouattara. REUTERS/Macline Hien
Texto por: Lígia ANJOS
3 min

A faltarem três semanas das eleições presidenciais, os líderes da oposição costa-marfinenses mobilizaram este domingo, 11 de Outubro, em Abidjan. 30.000 pessoas rejeitam a terceira candidatura presidencial de Alassane Ouattara, nas eleições de 30 deste mês.

Publicidade

A manifestação juntou o antigo Presidente Henri Konan Bédié, 86 anos, e candidato do Partido Democrático da Costa do Marfim (PDCI), representantes de Laurent Gbagbo, e do antigo Primeiro-Ministro, Guillaume Soro.

Jutnaram-se ainda o antigo presidente da Assembleia Nacional, Mamadou Koulibaly, os antigos ministros do Governo de Alassane Ouattara, nomeadamente Abdallah Albert Mabri Toikeusse e Marcel Amon Tanoh, que viram as suas candidaturas rejeitadas pelo Conselho Constitucional.

O secretário-geral da ala da Frente Popular Ivoiriense (FPI- Gbabo ou nada –GOR, Assou Adou), o reformista e antigo primeiro-ministro da outra ala da FPI, Pascal Affi N'Guessan , candidato presidencial aceite, estiveram ainda presentes neste movimento de protesto à recandidatura de Alassane Ouattara.

A manifestação foi convocada para exigir à ONU responsabilização pelo processo eleitoral na Costa do Marfim, apelando à criação de um órgão independente e credível.

Nos últimos dias, a oposição tem lançado apelos à desobediência civil, à formação de um governo de transição política.

Os observadores da política do país temem que a Costa do Marfim volte a mergulhar numa violência eleitoral, 10 anos depois da crise de 2010-2011, que tirou a vida 3.000 pessoas, depois do Presidente Laurent Gbagbo ter recusado reconhecer a derrota frente a Alassane Ouattara.

Em Agosto, 15 pessoas morreram nas violências provocadas depois do anúncio da candidatura do Presidente Ouattara, que sucedeu ao falecimento do candidato preferido, e antigo primeiro-ministro, Amadou Gon Kulibally.

Eleito em 2010, e reeleito em 2015, Ouattara, 78 anos, anunciou em Março que não seria candidato presidencial, antes de mudar de opinião.

A Constituição da Costa do Marfim prevê no máximo dois mandatos, mas o Conselho Constitucional considerou que a nova Constituição de 2016 não integra os dois mandatos de Ouattara. Situação contestada pela oposição.

O Conselho Constitucional validou quatro das 44 candidaturas presidenciais apresentadas, nomeadamente Alassane Ouattara, Conan Bédié, Affi N"Guessan e Kouadio Konan Bertin, Laurent Gbagbo e Guillaume Soro.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.