Acesso ao principal conteúdo
Tanzânia/política

Distúrbios e mortes antes de eleições gerais diz oposição na Tanzânia

 No decurso dos  distúrbios ocorridos segunda-feira à noite em Zanzibar, forças da polícia prendem  duas  pessoas  em  StoneTown.O escrutínio para as eleições presidencial e  parlamentares decorre nesta quarta-feira, dia 28 de Outubro.
No decurso dos distúrbios ocorridos segunda-feira à noite em Zanzibar, forças da polícia prendem duas pessoas em StoneTown.O escrutínio para as eleições presidencial e parlamentares decorre nesta quarta-feira, dia 28 de Outubro. AFP
Texto por: RFI
5 min

As eleições gerais na Tanzânia caracterizadas pela tensão  entre  o poder vigente e a oposição. Um dia antes do escrutínio,distúrbios ocorreram na ilha tanzanina de Zanzibar onde as forças policiais teriam matado nove  pessoas, no decurso de um confronto no qual opositores  tentaram impedir o desvio de urnas  durante a votação antecipada.

Publicidade

Segundo a  ACT( Aliança para Mudança e a Transparência)-Wazalendo, o  líder  da oposição Seif Sharif  Hamad,  foi levado à  força  pela polícia quando  chegou à uma mesa  de voto, na terça-feira durante a votação antecipada para as eleições gerais da Tanzânia, cujo escrutínio  decorre na  quarta-feira, 28  de Outubro.

 

A detenção do líder da ACT-Wazalendo, que se candidata pela sexta vez à eleição presidencial,  ocorre  depois de  uma noite  de violência em Pemba, arquipélago  de  Zanzibar, donde é  oriundo  Seif Sharif Hamad,  no decurso  da qual, segundo  o  porta-voz  da  coligação Abeid Khamis , nove pessoas foram alegadamente mortas  pelas forças  de polícia.

O comandante  geral da Polícia  em Dar es Salam,  Simon Sirro,  declarou  aos media que 42 pessoas foram presas, mas que nenhuma morte se registara antes  do escrutínio  do  dia  28 .

Numa  entrevista concedida à RFI,Ismali  Jussa  da  ACT-Wazalendo referiu-se ao  que poderia caracterizar-se como o roubo de urnas de voto supostamente cheias  de  buletins, assim como  afirmou  que  sete  pessoas  morreram durante os  distúrbios de segunda-feira à  noite.

Ismali Jussa, dirigente da ACT- Wazalendo 27 10 2020

Ontem,  militares e outras  forças  de segurança  levaram  à  força urnas  já enchidas,  das mesas de voto  , de  forma  a serem  utilizadas hoje.

Membros  do nosso partido  tentaram impedi-los de fazer isso.

Primeiramente foi lançado gás lacrimogénio contra os nossos membros e em em seguida quando eles compreenderam, que não podiam superar a resistência das pessoas, começaram a disparar contra elas  com balas verdadeiras. 

E o resultado, como vocês sabem, sete  pessoas morreram.Três morreram imediatamente e outras quatro faleceram durante a noite, depois de não resistirem aos ferimentos .E  duas outras mortes  foram confirmadas  esta manhã.

O  mesmo ocorreu também em Onguja, na região norte de Onguja. Pelo menos sete membros, do Wazalendo foram alvejados com balas verdadeiras.

                                                                       (Ismali  Jussa) dirigente da ACT-Wazalendo                       

                             

Saliente-se que as alegadas  mortes não foram confirmadas por  fontes independentes .

A  oposição tanzaniana acusou o executivo cessante de aproveitar a votação antecipada para as forças de segurança, de forma a cometer uma fraude eleitoral. 

 Segundo fontes locais em Zanzibar, o receio de que uma fraude estivesse a  ser preparada fez com que a oposição mandasse os seus partidários também irem votar  no mesmo dia , que os membros das forças  de segurança.

O  candidato  do Chama Cha Mapinduzi( CCM ), partido no poder  e  único até 1992,bem como presidente cessante, John Magafuli  tenta reeleger-se para um quinto mandato.

 Magafuli, que encerrou a  sua campanha na terça-feira, não fez  alusão aos distúrbios ocorridos  em Zanzibar, nomeadamente em Pemba. Ele  limitou-se  a   expressar  o desejo, de que a votação, de  28 de Outubro, decorra em paz.

Os  seus adversários na eleição presidencial, como o mediático advogado e fã de reggae e de Bob Marley, Tundu Lissu, alegaram ter sido assediados pelas autoridades no decurso das suas campanhas. 

Zanzibar onde ocorreram os  confrontos entre forças da ordem  e partidários da ACT-Wazalendo, permanece o bastião dos opositores tanzanianos.                    

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.