#Guiné-Bissau/Covid-19

Guiné-Bissau vai receber vacinas do Senegal

Dacar, 3 de Março de 2021
Dacar, 3 de Março de 2021 AFP - JOHN WESSELS

O Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, declarou que chegam à Guiné-Bissau, na próxima semana, 10.000 vacinas contra o novo coronavírus doadas pelo Senegal. As declarações foram feitas em entrevista à agência Lusa.

Publicidade

A Guiné-Bissau vai receber, na próxia semana, 10.000 vacinas doadas pelo Senegal.

"Para a semana vamos receber 10.000 doses de vacinas de oferta do meu amigo e Presidente do Senegal, Macky Sall. A União Africana também nos vai mandar e nós também vamos comprar, estamos a ver onde vamos comprar se à Rússia, à China, à União Europeia", afirmou o Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, em entrevista à agência Lusa.

Umaro Sissoco Embaló, presidente guineense em declarações à agência Lusa, 3/3/2021

Umaro Sissoco Embaló disse, ainda, que o país vai adquirir "todas as vacinas que estão homologadas pela OMS [Organização Mundial da Saúde]".

No sábado, o representante do Banco Mundial em Bissau, Amadou Ba, anunciou que está a ser preparado um projeto de apoio à vacinação contra a covid-19 na Guiné-Bissau no valor de cinco milhões de dólares que deverá ser aprovado até abril.

A União Europeia já tinha anunciado que a Guiné-Bissau vai receber 144.000 doses da vacina AstraZeneca até ao final de Março ao abrigo da iniciativa Covax, que junta vários parceiros internacionais.

 

Na terça-feira, chegou, a Angola, o primeiro lote de vacinas contra a covid-19, no âmbito da Covax, e foram vacinados os primeiros angolanos contra a doença. A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, inaugurou o depósito central de vacinas. As primeiras 624 mil doses que chegaram a Luanda fazem parte de um lote de 2 milhões e 172 mil doses que devem chegar ao país até ao final de Maio.

Entretanto, em Cabo Verde, o primeiro-ministro disse, esta quarta-feira, que as primeiras vacinas contra a covid-19 deverão chegar ao país em breve, no âmbito da Covax. O país vai receber 108.000 doses da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca, produzidas na Índia, e 5.850 doses da vacina da Pfizer, ao abrigo da iniciativa Covax, mas os prazos de entrega ainda não estão oficialmente definidos.

Em São Tomé e Príncipe, o Governo anunciou, esta quarta-feira, a chegada ao país, na sexta-feira, das primeiras 24 mil doses de vacina contra a covid-19. O anúncio foi feito pelo porta-voz da 10.ª Reunião de Alto Nível de Seguimento da Resposta à Pandemia de Covid-19, cujos trabalhos foram presididos pelo chefe de Estado, Evaristo Carvalho. O executivo já tem selecionado "um grupo prioritário" e essas 24 mil doses começarão a ser aplicadas à população a partir de dia 15 deste mês. São Tomé e Príncipe espera receber um total de 150 mil doses de vacinas "quer no quadro do projeto Covax, quer no quadro de parcerias bilaterais".

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI