Prémio Mo Ibrahim Mahamadou Issoufou

Prémio Mo Ibrahim 2020 atribuido ao Presidente cessante do Níger

Prémio Mo Ibrahim 2020 atribuido ao antigo Presidente do Níger, Mahamadou Issoufou.
Prémio Mo Ibrahim 2020 atribuido ao antigo Presidente do Níger, Mahamadou Issoufou. ©RFI

O Prémio Mo Ibrahim que habitualmente recompensa todos os anos uma liderança de excelência e o reforço da democracia e do estado de direito em África e que não era atribuído há quatro anos, distinguiu nesta segunda-feira, 8 de março, o chefe de Estado cessante do Níger Mahamadou Issoufou, pelos seus esforços para melhorar o desenvolvimento económico do seu país, ter renunciado a brigar um terceiro mandato e contribuido simultaneamente para a estabilidade regional.

Publicidade

O Presidente Mahamadou Issoufou de 68 anos, que há dez anos dirige os destinos do Níger, no início de abril cederá o cargo ao seu delfim Mohamed Bazoun, na primeira transição democrática entre dois Presidentes eleitos no Níger, foi galardoado esta segunda-feira, 8 de março com o Prémio Mo Ibrahim 2020, que recompensa uma "governação excepcional" em África.

"O comité do Prémio sublinhou a liderança excepcional do Presidente Issoufou, à frente de um dos países mais pobres do mundo, confrontado a uma acumulação de desafios aparentemente insuperáveis". 

Na sua conta twitter o Presidente cessante agradeceu à Fundação Mo Ibrahim afirmando "considero este prémio como um encorajamento para continuar a pensar e a agir com o objectivo de promover os valores democráticos e a boa governação não apenas no Níger, mas também em África e no mundo"

A vitória à segunda volta em fevereiro de 2021 de Mohamed Bazoun foi contestada pela oposição e gerou confrontos que causaram pelo menos dois mortos em Niamey e a oposição acusa o campo pró-Issoufou pela forma como afastou da competição eleitoral o seu principal rival Hama Hamadou.

Mahamadou Youssoufou, Prémio Mo Ibrahim 2020

Prémio Mo Ibrahim

Fundado em 2007 por Mo Ibrahim, um rico empresário anglo-sudanês do sector das telecomunicações, o prémio recompensa, em princípio anualmente, um antigo chefe de Estado ou de governo de um país da África subsahariana pelo seu trabalho e desempenho a favor do interese público ou em prol do desenvolvimento sustentável.

Mahamadou Issoufou é o sexto laureado do Prémio Mo Ibrahim, dotado da avultada soma de cinco milhões de dólares pagos durante dez anos e em seguida 200 mil dólares anuais de forma vitalícia, permitindo assim ao continente africano continuar a beneficiar da experiência e da sabedoria dos seus dirigentes excepcionais e permitndo a estes a ocasião de continuarem uma acção cidadã no seu continente, uma vez terminados os seus mandatos.

O Prémio Mo Ibrahim não era atribuido desde 2017, devido à ausência de candidatos reunido os requisitos e/ou qualidades necessárias para tal

Além do Presidente cessante do Níger, cinco outros chefes de Estado africanos foram galardoados com o Prémio Mo Ibrahim desde 2007, quando foi atribuido pela primeira vez ao antigo Presidente de Moçambique Joaquim Chissano, seguido pelo do Botswana Festus Gontebanye Mogae (2008), o de Cabo Verde Pedro De Verona Rodrigues Pires (2011), o da Namíbia Hifikepunye Pohamba (2014) e a da Libéria Ellen Johnson Sirleaf (2017).

Em 2017, o antigo Presidente sul-africano Nelson Mandela, ícone da luta anti-apartheid foi o primeiro laureado honorário do Prémio Mo Ibrahim.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI