Economia

França empresta 1,5 mil milhões de dólares ao Sudão

Manifestações e crise económica no Sudão levantam dúvidas aos observadores internacionais sobre a evolução da transição democrática no país.
Manifestações e crise económica no Sudão levantam dúvidas aos observadores internacionais sobre a evolução da transição democrática no país. ASHRAF SHAZLY AFP

A França vai emprestar 1,5 mil milhões de dólares ao Sudão, de forma a apoiar os esforços regionais para a transição democrática, numa altura em que o país enfrenta dificuldades devido à crescente dívida externa.

Publicidade

O ministro da Economia francês, Bruno le Maire, comprometeu-se esta manhã a emprestar 1,5 mil milhões de dólares ao país, dando-lhe assim alguma margem de manobra face à dívida externa que já é de 60 mil milhões de euros.

Ainda em Paris, os líderes políticos e uma comitiva de cerca de 50 empresários vêm à procura de oportunidade de investimento externo no país, nomeadamente nos setores das infraestruturas, agricultura, energias ou tele-comunicações.

O Presidente Republica francesa, Emmanuel Macron, organiza hoje uma reunião de alto nível que reúne os principais actores da região, incluindo Abdel Fattah AL-BURHAN, presidente do Conselho de Soberania da República do Sudão e de Abdallah HAMDOK, primeiro-ministro da República do Sudão.

A discussão vai centrar-se à volta da economia sudanesa, que tem tido dificuldade em fazer face à dívida externa e encontrar estabilidade financeira após o início da transição democrática, em 2019. Desde essa altura, militares e civis tentam reconstruir as instituições demoráticas que possam levar à realização de eleições livres em 2024.

A Alemanha anunciou também hoje que vai perdoar 360 milhões de euros de dívida ao Sudão, ajudando assim os esforços para estabilizar o país.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI