Acesso ao principal conteúdo
Cultura/França

França:Emmanuel Macron deseja reforçar ensino de francês no mundo

Presidente Emmanuel Macron quando apresentava na Academia Francesa  o novo plano de difusão da língua francesa no mundo.Paris  20.03.2018
Presidente Emmanuel Macron quando apresentava na Academia Francesa o novo plano de difusão da língua francesa no mundo.Paris 20.03.2018 AFP
Texto por: RFI
5 min

Por ocasião da Jornada Internacional da Francofonia, o Presidente Emmanuel Macron realçou a necessidade e a obrigação de melhor aprender a língua francesa em França, numa altura em que o país acolhe pessoas que fogem das guerras em busca de um novo destino. O chefe de Estado francês preconizou uma francofonia plural e aberta para o mundo, desmentindo qualquer tentação hegemónica perante as suspeitas de neocolonialismo.

Publicidade

O Presidente Emmanuel Macron divulgou no decurso da jornada da francofonia, o seu plano a favor da promoção da língua francesa.

Diante dos membros da Academia Francesa e de 300 jovens estudantes liceais e universitários, o Chefe de Estado francês anunciou um pacote de medidas visando a dar à língua francesa os meios para as suas ambições.

Emmanuel Macron, afirmou que o francês foi superado por outras línguas com objectivos hegemónicos, tendo recuado nas últimas décadas em regiões como o Médio-Oriente e a Ásia.

Ele sublinhou a necessidade imperiosa de reforçar o ensino da língua francesa, nomeadamente com o objectivo de melhor integrar os estrangeiros que residem em França.

Presidente Emmanuel Macron 20.03.2018

A obrigação de aprender o francês em França é uma necessidade imperiosa, numa altura em que nós devemos acolher mulheres e homens refugiados de guerra e dar-lhes um destino no seio da nossa comunidade nacional.

Eu não vejo melhor autorização de estadia para eles, do que a língua francesa. É por essa via que eles vão integrar a Nação, é através dela que eles terão o seu justo lugar.

Actualmente os refugiados têm direito à um máximo de 250 horas de aulas de francês.

Eu desafio-vos de aprender o francês em 250 horas. Esse ensino será aumentado para 400 e até mesmo 600 horas, para as pessoas mais vulneráveis e que menos conhecem a sociedade francesa, que não dominam a escrita nem a leitura.

Nós apoiaremos as associações e os estabelecimentos de ensino, atribuindo-lhes uma licença específica e criando nas cidades, bibliotecas e mediatecas de referência.

Porque a língua francesa não é só um mecanismo de integração.Ela é a integração em si mesma.(Emmanuel Macron)

O Presidente Macron referiu-se a África como viveiro potencial e futuro da francofonia, devido à juventude da sua população e às perspectivas de desenvolvimento económico do continente.

No âmbito do seu plano de difusão da língua francesa, Emmanuel Macron anunciou que a Agência Francesa do Desenvolvimento(AFD) vai duplicar os seus meios consagrados aos sistemas de ensino da África francesa com o objectivo de atingir anualmente a meta de 350 milhões de euros.

No corrente ano, a França disponibilizará uma verba suplementar de 175 milhões de euros.

De acordo com o Presidente Macron, o plano de reforço do ensino da língua francesa, está desprovido de qualquer tentação neocolonialista.

Tidos como uma espécie de coluna vertebral do ensino do francês no mundo,os liceus franceses no estrangeiro acolhem actualmente 350.000 jovens em 500 estabelecimentos, ue segundo a presidência francesa, têm a vocação para receber o dobro de alunos, a fim de responder a uma procura crescente.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.