Acesso ao principal conteúdo
MADAGASCAR

Presidente de Madagáscar exclui demissão

Hery Rajaonarimampianina, presidente de Madagáscar em Antananarivo a 29 de Abril de 2018.
Hery Rajaonarimampianina, presidente de Madagáscar em Antananarivo a 29 de Abril de 2018. RIJASOLO / AFP

Hery Rajaonarimampianina, presidente de Madagáscar, descarta por completo demitir-se. Para ele a contestação ao seu poder é um golpe de Estado, afirmando-se, porém, apto ao diálogo. Pelo menos duas pessoas já morreram à margem dos protestos.

Publicidade

Numa entrevista a Laetitia Bezain, da rfi, bem como à AFP e ao jornal Le Monde, aqui com tradução de Miguel Martins, o presidente de Madagáscar toma posição sobre a crise política em curso.

"Sou presidente por vontade do povo malgaxe. Demitir-se seria trair essa vontade do povo malgaxe.

Nos protestos houve um ferido ou uma ferida com uma munição de caça.

Será que os militares utilizam este tipo de armamento ?

Quer-se é atribuir ao Estado uma responsabilidade que lhe é alheia.

Este movimento é pura e simplesmente um golpe de Estado, e isso não tem nada a ver com qualquer medo de ser derrubado.

Quanto a Andry Rajoel ou a Marc Ravalomanane não tenho nada contra qualquer candidatura de um ou de outro.

Se as disposições legais lhes permitem candidatar-se não há nenhum problema.

Aliás não compete a nenhum presidente em exercício escolher este ou aquele candidato ou ainda impedir este ou aquele de se candidatar.

Estranho é eles participarem nesta contestação: se se é candidato isso faz-se através de eleições e não através de manifestações de rua."

De há 10 dias a esta parte a capital de Madagáscar tem sido palco de protestos da oposição.

Em causa está a contestação às novas leis eleitorais que já degeneraram a 21 de Abril com registo de dois mortos.

A 25 de Abril os deputados da oposição levaram perante o Alto Tribunal Constitucional um pedido de destituição do chefe de Estado.

O presidente alega ter-se avistado já com embaixadores acreditados em Antananarivo para lhes explicar o seu posicionamento nesta crise.

Hery Rajoanarimanpianina apelou ainda aos sectores que o contestam para que o assunto possa ser debatido em torno de uma mesa.

A SADC, Comunidade para o desenvolvimento da África austral, reunida na semana passada na capital angolana, anunciou a nomeação de Joaquim Chissano, antigo presidente moçambicano, como enviado especial para Madagáscar.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.