Acesso ao principal conteúdo
SUDÃO

Sudão: Mortos na repressão de manifestação

Multidão transporta um corpo no Sudão a 1 de Julho de 2019.
Multidão transporta um corpo no Sudão a 1 de Julho de 2019. REUTERS/Umit Bektas
Texto por: Miguel Martins
2 min

No Sudão o dia voltou a ser de protestos contra os militares no poder, no dia seguinte a gigantescas manifestações que se traduziram em sete mortos e mais de 180 feridos.

Publicidade

Centenas de pessoas manifestaram-se hoje na margem do rio Nilo em frente a Cartum, a capital sudanesa.

O protesto de Omdourman aconteceu após a descoberta de 3 corpos, facto atribuído pela população aos militares.

E isto no dia seguinte às maiores manifestações desde que a 3 de Junho passado o exército dispersou uma concentração de vários meses denunciando o poder precisamente dos militares.

Na altura morreram dezenas de pessoas.

O Conselho militar de transição responsabilizou, por seu lado, a Aliança para a liberdade e a mudança pelo ocorrido neste domingo, por supostamente terem incitado os manifestantes a afluir rumo ao palácio presidencial e ao quartel general do exército.

Os militares assumiram o poder desde a destituição do presidente Omar al Bashir a 11 de Abril, após 3 décadas no poder.

A Etiópia, em nome da União Africana, tenta mediar as partes desavindas para encontrar um figurino de transição estável.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.