Acesso ao principal conteúdo
Relações internacionais/China

China reaproxima Japão e Coreia do Sul com preocupações sobre programa nuclear norte-coreano

O Primeiro-ministro do Japão Shinzo Abe (à direita) e o Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in (à  esquerda).
O Primeiro-ministro do Japão Shinzo Abe (à direita) e o Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in (à esquerda). STR / JIJI PRESS / AFP

China organizouem Chengdu, cimeira tripartida com dois aliados dos Estados Unidos, isto é, Coreia do Sul e Japão, de forma a implementar uma estratégia frente a Coreia do Norte, cujas autoridades decepcionadas com Washington prometeram uma surpresa por ocasião das festividades natalícias. Os três países receiam que a Coreia do Norte efectue um novo teste de míssil ,que segundo Pequim, Tóquio e Seul, poderia reacender as tensões à escala mundial.

Publicidade

Reunidos na cidade de Chendgu, no sudoeste da China, os dirigentes chineses, japoneses e sul-coreanos, receiam uma nova escalada da tensão no plano global relativamente ao programa nuclear norte-coreano, em caso de Pyongyang testar novos mísseis.

O líder norte-coreano Kim Jong Un prometeu um presente não-identificado, se os Estados Unidos não fizerem concessões nas discussões sobre o programa nuclear de Pyongyang, daqui ao final do ano.

À margem da cimeira de Chengdu, o Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in e o Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, realizaram o primeiro encontro bilateral em 15 meses.

As relações entre Seul e Tóquio tinham resfriado devido à represálias comerciais mútuas,motivadas pelas sequelas históricas da ocupação japonesa da Península coreana, entre 1910 e 1945, marcada nomeadamente pela escravidão sexual de mulheres coreanas.

Segundo os analistas, a tensão, que prevaleceu nos últimos meses entre Seul e Tóquio, tornou inoperante as duas capitais asiáticas no plano diplomático regional. Pequim preencheu esse vazio diplomático, designadamente com o encontro de Chengdu, que visava reaproximar a Coreia do Sul e o Japão.

Depois da reunião na China, tanto Shinzo Abe como Moon Jae-in, sublinharam a urgente necessidade da retoma de negociações entre Pyongyang e Washington, que estão no impasse desde o fracasso da cimeira,entre Donald Trump e Kim Jong Un, em Hanoi, no início de 2019.

Os líderes dos três países prometeram contribuir para o diálogo, de modo a livrar a Península coreana das armas nucleares.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.