Moçambique / Relatório da ONG Save The Children

Casos graves de tráfico de mulheres e crianças

Crianças vulneráveis no sul de Moçambique junto à fronteira com a África do Sul.
Crianças vulneráveis no sul de Moçambique junto à fronteira com a África do Sul. Carlos Jossia

Mais de mil mulheres e crianças são anualmente traficadas a partir de Moçambique para a África do Sul – revela estudo da Save the Children. O relatório divulgado esta quinta-feira em Maputo pela Organização Não Governamental Save The Children denuncia casos graves de tráfico de mulheres e crianças em Moçambique.

Publicidade

Com o nosso correspondente em Maputo, Carlos Jossia

 

De acordo com o estudo, a pobreza que afeta as potenciais vítimas favorece esta prática e facilita o assédio. – “As principais formas para recrutar pessoas que serão traficadas não é rapto é o recurso a promessa falsas, promessas de comida, de bens matérias, de trabalho e educação sobretudo promessas de acesso ao ensino” – revelou Ilundi Cabral, responsável pela pesquisa, citando o relatório.

 

É com o recurso a promessas com o mais básico das necessidades de sobrevivência que mulheres e crianças moçambicanas são alvo fácil dos traficantes e exploradores que obtêm grandes lucros com esta prática. Um caso de estudo vem da província de Tete no centro de Moçambique onde uma mulher prostituía a sobrinha e suas filhas menores de idade.

Ainda de acordo com a pesquisa os casos de tráfico e exploração sexual interna de mulheres e crianças está a aumentar ao mesmo ritmo que aumenta o tráfico transfronteiriço … e a vizinha África do sul é o principal destino.

A pesquisa da SaveThe Children decorreu nas províncias de Maputo, Gaza, Manica, Solafa, Tete e Zambézia e envolveu mais de 500 crianças e 74 informantes adultos.

Ilundi Cabral, responsável pela pesquisa da Save the Children

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI