Acesso ao principal conteúdo
MARROCOS

Marrocos viveu domingo de protestos

Manifestantes nas ruas de Rabat em Marrocos a 20 de Fevereiro de 2011.
Manifestantes nas ruas de Rabat em Marrocos a 20 de Fevereiro de 2011. AFP/Abdelhak Senna
Texto por: Miguel Martins
5 min

Milhares de pessoas saíram às ruas neste domingo exigindo reformas políticas, nomeadamente a diminuição dos poderes do rei. Protestos que ocorrem em plena vaga de contestação no norte de África.

Publicidade

Os ventos de revolta que suscitaram a queda dos regimes tunisino e egípcio, mais os protestos na Líbia e na Argélia chegaram também a Marrocos.

Com registo de alguns incidentes a lamentar neste domingo em cidades como Al Hoceima, Marrakech, Larache e Tétouan, inlcuindo ataques a edifícios ou a utilização pela polícia de gás lacrimógeneo.

Já em Rabat, a capital política, e em Casablanca, a o pulmão da economia marroquina, milhares de manifestantes exigiram reformas políticas num clima ordeiro.

Ainda assim por receio de eventuais desacatos houve quem não se atrevesse a sair à rua, caso da turista guineense Roni Tavares em Casablanca.

Roni Tavares

Já para o angolano Antunes Muaquesse, que estuda comércio internacional em Rabat há vários anos, o caso marroquino seria muito diferente do regime dos países vizinhos: a figura do rei continuando a impôr muito respeito.

Antunes Muaquesse

Marcelo Matias, encarregado da secção consular da Embaixada de Portugal em Marrocos, alega que a palavra de ordem dos manifestantes apontava mais em apelos à demissão do governo do que num ataque ao monarca marroquino.

 

Marcelo Matias

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.