Angola

Manifestação contra o Governo em Angola

Luanda, capital angolana
Luanda, capital angolana Erik Cleves Kristensen/Wikipédia

A Praça da Independência, em Luanda, vai ser palco de uma manifestação anti-governamental convocada anonimamente. A organização apela ao protesto contra a "ditadura Joseduardizada" e contra "32 anos de tirania e má governação".

Publicidade

Tudo indica que a manifestação contra o a governação de José Eduardo dos Santos, marcada para esta segunda feira, vai mesmo ter lugar em Luanda. A organização do protesto garante a sua concretização mesmo depois daquilo a que eles chamam de discursos "intimidatórios e demagógicos do MPLA", o partido que suporta o governo.

A agência de notícias, Lusa, noticiou, já esta manha, a detenção de cerca 20 pessoas em Luanda, incluindo o rapper angolano "brigadeiro Mata Frakus" e jornalistas do Novo Jornal. As detenções ocorreram quando estas pessoas se concentravam na praça 1° de Maio para a manifestação. Os detidos encontram-se desde o início da madrugada no Comando Provincial de Luanda.

Cidadão angolano

Inclusive, por volta das 6h30, a RFI ouviu um cidadão de Luanda, que falou em cultivo de um clima de medo por parte do regime de José Eduardo dos Santos, pelo menos, no que toca à adesão a esta manifestação.

A convocatória da manifestação anti-governamental agendada para hoje foi assinada por um desconhecido Movimento Revolucionário do Povo Lutador de Angola e assinada com o pseudónimo Agostinho Jonas Roberto dos Santos, designação que recupera os nomes dos líderes dos três movimentos que lutaram pela independência de Angola. Os principais partidos da oposição, designadamente a UNITA, já negaram a paternidade do protesto e demarcaram-se da ação

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI