Guiné Equatorial

Oposição convoca manifestação na Guiné Equatorial

Teodoro Obiang Nguema, presidente da Guiné Equatorial.
Teodoro Obiang Nguema, presidente da Guiné Equatorial. Rodrigues Pozzebom/ABr/Wilipédia

O partido de oposição na Guiné Equatorial, a União Popular, convocou uma manifestação para esta quarta-feira, na capital Malabo. Exigem uma "real abertura democrática" do país. As autoridades governamentais ainda não autorizaram a realização do protesto.

Publicidade

A União Popular (UP), partido de oposição na Guiné Equatorial, agendou para a próxima quarta-feira uma "concentração pacífica". Na génese deste protesto está a reivindicação de maiores direitos sociais nas áreas de habitação e trabalho. A UP quer " uma real abertura democrática" da Guiné Equatorial.

Em declarações à agência de notícias EFE, Daniel Darío Martínez Ayacaba, presidente da UP, sublinhou que foi enviado um pedido, para a autorização deste protesto, à Direção-Geral para a Segurança Nacional e na concentração apenas deverão participar dirigentes nacionais, provinciais e distritais do partido. Ayacaba refere, também, que se o ato não for alvo de autorização por parte do regime, este será imediatamente cancelado.

Recorde-se que, na Guiné Equatorial, as manifestações contra o regime de Teodoro Obiang Nguema, no poder desde 1979, são escassas. O país prima por duras restrições à liberdade de expressão, associação e manifestação.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI