Guiné-Bissau

Gomes Júnior é o "candidato natural" do PAIGC à presidência da Guiné-Bissau

Carlos Gomes Júnior, Primeiro-ministro da Guiné-Bissau.
Carlos Gomes Júnior, Primeiro-ministro da Guiné-Bissau. Kaldari / Wikipédia

O Primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Carlos Gomes Júnior e também presidente do PAIGC, o partido no poder, anunciou, esta terça-feira, ser o "candidato natural" do seu partido às eleições presidenciais antecipadas de 18 de Março.

Publicidade

O chefe de Estado da Guiné-Bissau, Carlos Gomes Júnior, afirmou que é o "candidato natural" do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), partido no poder. Todavia, Gomes Júnior ressalva que a decisão final tem de sair da reunião do comité central do partido agendada para a próxima quinta-feira. O sufrágio está marcado para 18 de Março.

Noutro plano, hoje, na Guiné-Bissau, terminou a missão do Fundo Monetário Internacional (FMI). A instituição considerou favorável o desempenho económico do país, mas alertou para a necessidade de estabilidade política e de uma transição pacífica nos próximos meses. Só dessa forma, diz o FMI, Bissau poderá atingir a estabilidade económica e o desenvolvimento.

As eleições presidenciais antecipadas foram convocadas após a morte do chefe de Estado guineense, Malam Bacai Sanhá, a 9 de Janeiro, em Paris, onde se encontrava em tratamento médico desde Novembro de 2011.

Com a colaboração do nosso correspondente em Bissau, Mussá Baldé

Mussá Baldé, correspondente em Bissau

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI