Acesso ao principal conteúdo
Angola / Cabinda

Prossegue a greve do sector da saúde em Cabinda

Mapa da África com destaque para cabinda.
Mapa da África com destaque para cabinda. DR
Texto por: Liliana Henriques
3 min

Em greve desde a semana passada sob forte dispositivo policial e militar, os enfermeiros e técnicos de saúde de Cabinda prosseguem o movimento após um fim-de-semana marcado pela violência.

Publicidade

Aquando de uma nova manifestação no Sábado passado, os grevistas foram impedidos de se concentrarem junto ao Hospital Central de Cabinda e quando tentaram reunir-se junto à sede do Sindicato da Saúde, foram novamente evacuados. Nesta acção, as forças policiais usaram jactos de água e balas de borracha, mas de acordo com Manuel Guilherme Macaia Tati, Presidente do Sindicato da Saúde de Cabinda, vários manifestantes foram espancados e um total de 21 grevistas -entre os quais ele-próprio- foram detidos.

Ao referir que todos os grevistas foram soltos no mesmo dia, este líder sindical dá conta igualmente de contactos no Sábado com o Vice-Ministro Angolano da Saúde que efectuava uma deslocação ao enclave precisamente naquele dia. Manuel Guilherme Macaia Tati declara que o governante se mostrou receptivo às suas reivindicações mas refere que até agora não foram encetadas conversações com as suas tutelas directas em Cabinda, pelo que lança um novo apelo à negociação.

Manuel Guilherme Macaia Tati, Presidente do Sindicato da Saúde de Cabinda

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.