Guiné-Bissau

Possível encontro entre autoridades de transição e Governo deposto da Guiné-Bissau ainda este mês

Primeiro-Ministro deposto da Guiné-Bissau, Carlos Gomes Júnior
Primeiro-Ministro deposto da Guiné-Bissau, Carlos Gomes Júnior Liliana Henriques / RFI

Em conferência de imprensa esta quinta-feira em Lisboa, Carlos Gomes Júnior, Primeiro-Ministro deposto da Guiné-Bissau, anunciou que o seu governo e as autoridades de transição no poder desde o golpe de Estado de 12 de Abril deverão encontrar-se possivelmente ainda este mês, em Adis Abeba, na Etiópia no intuito de retomar o diálogo.

Publicidade

Nesta conferência de imprensa na qual estava igualmente presente o Presidente deposto Raimundo Pereira, Carlos Gomes Júnior referiu que estes contactos já encetados à margem da última assembleia geral da ONU em Nova Iorque sob a égide da União Africana precisam apenas de ver a sua data confirmada.

Em entrevista à RFI, Carlos Gomes Júnior expressa a sua disponibilidade para o diálogo e ao sublinhar a necessidade de se encontrar soluções urgentes para o país também refere tencionar terminar o seu mandato.

Carlos Gomes Júnior, Primeiro-Ministro deposto da Guiné-Bissau

Ao desmentir um qualquer envolvimento no episódio violento do passado dia 21 de Outubro, o Primeiro-Ministro deposto insiste sobre a necessidade de se investigar o caso e considera que a situação vigente no país é grave.

Carlos Gomes Júnior, Primeiro-Ministro deposto da Guiné-Bissau

Refira-se ainda que durante a conferência de imprensa ocorrida hoje em Lisboa, Carlos Gomes Júnior também revelou a sua intenção de apresentar a sua recandidatura à liderança do PAIGC, Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde, e que nesta óptica irá participar no Congresso desta formação previsto para Janeiro 2013.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI