Guiné-Bissau

Reflexão sobre uma possível prorrogação dos mandatos dos deputados na Guiné-Bissau

Assembleia Nacional Popular da Guiné-Bissau
Assembleia Nacional Popular da Guiné-Bissau Liliana Henriques/RFI

Depois da abertura solene de uma uma nova sessão parlamentar na passada quinta-feira, os deputados Guineenses retomaram os seus trabalhos efectivos esta segunda-feira, pondo fim a mais de 6 meses de paralisação por falta de entendimento entre os dois principais partidos Guineenses PRS, Partido da Renovação Social, e o PAIGC, Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde, após o golpe de Estado do passado 12 de Abril.

Publicidade

Em cima da mesa está a eleição de um novo presidente da Comissão Nacional de Eleições, a aprovação de uma nova lei eleitoral, o preenchimento das vagas na mesa da Assembleia Nacional Popular e sobretudo a prorrogação da actual legislatura até à posse de novos deputados.

Nesta óptica, foi formado um grupo de trabalho integrando todas as forças políticas representadas no Parlamento, no intuito de se debruçarem sobre a prorrogação da actual legislatura cujo fim tem sido previsto para dia 22 de Novembro.

Em entrevista à RFI, Sêdi Bá, deputado do PAIGC, resume o que hoje foi debatido na Assembleia Nacional da Guiné-Bissau.

Sêdi Bá, deputado do PAIGC entrevistado por João Matos

Também do ponto de vista de Serifo Djaló, líder parlamentar do PRS, a prorrogação da legislatura é necessária e existem condições para a Assembleia Nacional Popular funcionar.

Serifo Djaló, deputado do PRS entrevistado por Liliana Henriques

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI