Acesso ao principal conteúdo
Angola

Inicio da última fase de repatriamento de angolanos da RDC

Cerca de 500 angolanos ex-refugiados na RDC, regressaram quarta-feira ao seu país de origem
Cerca de 500 angolanos ex-refugiados na RDC, regressaram quarta-feira ao seu país de origem RFI/ Léa-Lisa Westerhoff
9 min

Começou ontem (20/08) a última fase de repatriamento dos cerca de 30 mil ex-refugiados angolanos, que manifestaram a vontade de regressar a Angola, um processo suspenso desde 2012 e que deverá terminar em Dezembro deste ano.

Publicidade

O primeiro grupo de cerca de 500 ex refugiados, chegou esta quarta-feira (20/08) à província do Uige, no norte de Angola, através do posto fronteiriço de Kimbata, manicípio de Maquela do Zombo, situado a cerca de 310 kms da cidade do Uige.

 O repatriamento dos cerca de 30 mil angolanos ex-refugiados prossegue para a semana, devendo estender-se à província do Zaire, e estar concluido até Dezembro 2014.

Desde 2002 com o advento da paz em Angola, esta operação de repatriamento voluntário é feita em parceria entre as autoridades angolanas e congolesas, a Organização Internacional das Migrações (OIM) e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), cujo representante em Angola, é desde 2012 o holandês Hans Lunshof, que dá conta da situação no terreno.  

Hans Lunshof, representante do ACNUR em Angola

 Esta quinta-feira (21/08) a Agência Francesa de Informações (AFP) anuncia que 56 ex-refugiados angolanos continuam retidos em território congolês, cujas autoridades acusam a parte angolana de não ter enviado peritos para identificar devidamente os refugiados, uma verificação que foi no entanto feita pelas partes Angola, RDC e ACNUR, segundo Hans Lunshof.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.