Angola

Angola inicia mandato como membro não permanente do Conselho de Segurança da ONU

Embaixador angolano junto das Nações Unidas, Ismael Martins
Embaixador angolano junto das Nações Unidas, Ismael Martins ONU

Angola assumiu hoje, e pela segunda vez em 13 anos de paz, na qualidade de membro não permanente um mandato no Conselho de Segurança. Há 38 anos que Angola aderiu à Organização das Nações Unidas, uma instituição criada para impedir diferendos que pudessem surgir no seio da comunidade internacional. 

Publicidade

A organização multilateral que completa este ano o seu 70° aniversário terá em 2015 criar soluções face; ao conflito entre Israel e Palestina, a situação na Sírio (que só em 2014 fez, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, mais de 76.000 mortos), o embargo a Cuba, a reforma da ONU, a alteração climática, e os conflitos militares em África.

Para embaixador angolano junto das Nações Unidas, Ismael Martins, este engajamento de Angola junto da ONU representa o reconhecimento do executivo angolano na estabilidade em África, nomeadamente, pelo papel que Angola assumiu na liderança na Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos em 2014, e com enfoque na intervenção nos conflitos na República Democrática do Congo, na República Centro Africana e Sudão do Sul.

Embaixador angolano junto das Nações Unidas, Ismael Martins

Angola, Tchad e a Nigéria são, a partir de hoje, membros não permanentes do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas para um período de dois anos, assumindo um compromisso de concertação de ideias para a tomada de posições unânimes e de interesse do continente africano.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI