Acesso ao principal conteúdo

Economia angolana ressente-se da baixa do preço do petróleo

REUTERS/Jo Yong-Hak/Files
Texto por: RFI
2 min

As más notícias para a economia angolana vêm de várias frentes e não só do petróleo.A brasileira Odebrecht, a maior empregadora privada do país, fechou a sua estrutura regional de Benguela... mais de mil funcionarios vão assim para o desemprego...A Odebrecht emprega mais de 24 mil trabalhadores em Angola e conta com uma carteira de negócios de 3,9 mil milhões de euros.  

Publicidade

O presidente da Associação Industrial de Angola, José Severino, defendeu uma desvalorização de oito por cento na moeda nacional, para travar a crescente procura de dólares no mercado, cuja cotação disparou devido à crise no petróleo.

A diminuição de receitas provenientes do crude fez diminuir a entrada de divisas no país, provocando a escassez de dólares no mercado e dificultando o pagamento das empresas a fornecedores internacionais.

Entretanto a ministra da Indústria angolana, Bernarda Gonçalves Martins, veio a publico rejeitar o cenário admitido por empresários de encerrar unidades produtivas do sector das bebidas devido à falta de divisas para comprar matéria-prima, por efeito da crise na cotação do petróleo.

Avelino Miguel, correspondente em Luanda, relata-nos o momento actual da economia angolana.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.