Moçambique

Expropriação de terras poblema em Moçambique

A UNAC refere que para além de prejuízos materiais, os camponeses também sofrem o impacto ambiental da implementação desses grandes projectos agrícolas.
A UNAC refere que para além de prejuízos materiais, os camponeses também sofrem o impacto ambiental da implementação desses grandes projectos agrícolas. Erico Waga/GRAIN

Camponeses e agricultores moçambicanos, estão a condenar a expropriação de terras moçambicanas, o que pode pôr em perigo, a própria alimentação da população moçambicana, segundo os activistas.

Publicidade

A expropriação de terras para dar lugar a grandes projectos já é um problema bicudo em Moçambique e que está a afectar sobremaneira as comunidades rurais que dependem deste recurso para a sua sobrevivência.

E, face a esta realidade, Lino Lassone, da União Nacional dos Camponeses, exige do governo a atribuição de DUATS, Direito de uso e aproveitamento da terra, como solução acertada, para acabar com a onda de usurpação de que estão a ser vítimas as comunidades.

Com 86 mil membros, a UNAC, um movimento de Camponeses, do sector familiar, que luta pela participação activa dos camponeses no processo de desenvolvimento, de Moçambique, denuncia ainda a sua exclusão nos processos de consulta comunitária que resultam depois em conflitos e a posterior usurpação das suas terras.

 

De Maputo, o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.

PS: Devido a problemas técnicos, a reportagem sonora, só estará disponível, posteriormente, mas o mais rápido possível.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI