Acesso ao principal conteúdo
Jibuti/Iémen

Jibuti a braços com vaga de refugiados do Iémen

Refugiados iemenitas à chegada a Djibouti.
Refugiados iemenitas à chegada a Djibouti. AFP FOTO / TONY KARUMBA
Texto por: Carina Branco
4 min

Cerca de cem mil pessoas foram obrigadas a deixar o Iémen devido à guerra, a maioria com destino à Somália, Etiópia e Jibuti, de acordo com a Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR). Na segunda-feira, Jibuti pediu ajuda internacional para ajudar os refugiados.  

Publicidade

Quase dez mil pessoas chegaram ao Jibuti, um pequeno país do Corno de África, desde 26 de Março, de acordo com a ACNUR.

Manuel João Ramos, especialista do Corno de África e do Iémen, lamenta que, apesar de uma "situação absolutamente explosiva" no Jibuti e no Iémen, não tenha havido até agora nenhuma acção internacional concertada para resolver a crise dos refugiados. “Só o governo indiano é que teve uma acção extremamente eficaz de evacuação não apenas de indianos mas de pessoas de várias outras nacionalidades”, destacou.

A situação está neste momento muito complexa porque, por um lado, temos milhares de iemenitas a chegar ao Jibuti fugidos da guerra e, por outro lado, temos eritreus, somalis, etíopes e sudaneses a viajar aos milhares para o Iémen apesar da guerra”, explicou à RFI Manuel João Ramos.

Oiça aqui a entrevista.

Manuel João Ramos, Politólogo

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.