Acesso ao principal conteúdo
Mali

Jihadista maliano reivindicou atentado de Sévaré

O hotel «Byblos» com os impactos de balas.
O hotel «Byblos» com os impactos de balas. AFP FOTO / STRINGER
Texto por: RFI
4 min

Um dirigente jihadista, próximo do pregador islamita Amadou Koufa, reivindicou esta terça-feira 11 de Agosto de ter cometido o ataque dum hotel em Sévaré. Segundo essa pessoa, o ataque contra o hotel Byblos fez 15 mortos, quando o balanço oficial anunciou 13. Em 2012, esse jihadista fazia parte do grupo maliano dos combatentes de Mokhtar Belmokhtar, chefe de vários grupos terroristas como Al Qaida no Magreb Islâmico.

Publicidade

Souleyman Mohamed Kennen é o nome de guerra do jihadista que reivindica o ataque da semana passada, a 7 de Agosto na cidade de Sévaré contra «os inimigos do Islão», afirmou. É próximo do pregador islamita maliano Amadou Koufa que quer aplicar a charia em toda a região do Mopti, uma região administrativa do Mali.

O homem afirmou à RFI que a operação foi realizada com a bênção de Amadou Koufa, que tem estado muito discreto nestes últimos meses. Amadou Koufa, numa banda magnética gravada há alguns meses, lançava um apelo para se combater por todos os meios as forças estrangeiras presentes no território maliano.

Próximo também de Mokhtar Belmokhtar

O homem que reivindicou o ataque também tem uma outra ligação bem conhecida ao terrorismo, o jihadista argelino Mokhtar Belmokhtar. É possível que a equipa que levou a cabo a operação na semana passada em Sévaré tivesse sido concebida e/ou executada com o apoio dos jihadistas do norte do país.

Em Bamaco, a capital maliana, não há por ora nenhuma reacção oficial após esta reivindicação. No entanto, em privado, um ministro maliano confiou : «Um terrorista será sempre um terrorista e eles executam todos juntos mesmo se apenas uma pessoa reivindica».

Ouça a crónica sobre o Mali.

Crónica de Marco Martins

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.