Acesso ao principal conteúdo
Marrocos

"É bom o dia em que se regressa a casa"

O rei de Marrocos,  Mohammed VI, na tribuna da União Africana
O rei de Marrocos, Mohammed VI, na tribuna da União Africana ZACHARIAS ABUBEKER / AFP
Texto por: Neidy Ribeiro
2 min

Marrocos regressou esta terça-feira à União Africana como 55° membro da organização panafricana. Com um discurso emocionado, o rei Mohammed VI começou por dizer que "é bom o dia em que se regressa a casa" e explicou as razões que o levaram, trinta e três anos depois, a juntar-se à família africana.

Publicidade

De fato e gravata e com um sorriso nos lábios, Mohamed VI chegou ao fim da manhã à sala plenária da União Africana sob os aplausos das delegações e os apupos que chegavam das galerias onde se encontrava a imprensa marroquina.

Com a voz emocionada o monarca dirigiu-se aos presentes afirmando que “é o bom o dia em que se regressa a casa. África é o meu continente e a minha casa", sublinhou.

Durante mais de vinte minutos, o rei explicou as razões pelas quais Marrocos decidiu juntar-se à familia da União Africana. O monarca deu como exemplo as parcerias, nas mais diversas áreas, que foram criadas com países africanos enquanto o reino esteve ausente da organização panafricana.

Apesar das reservas de alguns Estados sobre o pedido de adesão de Marrocos, ontem à noite trinta e nove países acabaram por se pronunciaram a favor da admissão do país.

Trinta e três anos depois Marrocos partilhou, esta terça-feira, pela primeira a mesma sala que a República Árabe Sarauí , Estado reconhecido pela União Africana e território reclamado por Rabat. Será este o principio do fim, uma questão que encontrará sem duvida resposta nos próximos tempos.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.