RD CONGO

RD Congo: 42 polícias assassinados no Kasaï

A ONU abriu uma investigação para analisar uma vintena de valas comuns descobertas na região.
A ONU abriu uma investigação para analisar uma vintena de valas comuns descobertas na região. Foto MONUSCO/Force

 42 polícias foram mortos na região do Kasaï, no Congo. O acontecimento ocorreu exactamente na mesma região onde foram encontradas uma vintena de valas comuns. 

Publicidade

Os polícias, que se encontravam em dois camiões, foram acometidos por centenas de indíviduos que os decapitaram. Seis conseguiram salvar-se devido ao facto de falarem tshiluba, o dialecto da região. Até ao momento, é o ataque mais mortífero cometido no Kasaï.

Suspeita-se que quem está por trás do ocorrido são os militantes de Kwamina Nsapu, chefe tribal entretanto assassinado, que se rebelou contra o governo e que juntou, à volta dele, vários dissidentes.

A província do Kasaï, no centro da República Democrática do Congo, está assim a viver um período de forte instabilidade e de grande violência. Desde Agosto, quando foi morto Kwamina Nsapu, mais de 400 pessoas foram assassinadas e cerca de 200.000 pessoas fugiram da região. 

A ONU abriu uma investigação para analisar uma vintena de valas comuns descobertas na região. No entanto, o exército congolês está a impedir-lhes de trabalhar.

Além disso, desapareceram há duas semanas dois especialistas da ONU encarregados de verificar as valas comuns. O paradeiro dos dois mantém-se, até ao momento, desconhecido.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI